Hungria concorda em mudar lei sobre BC e abre caminho para empréstimo

Decisão abre espaço para que país consiga um empréstimo preventivo de € 15 bilhões a € 20 bilhões da União Europeia e do FMI para proteger a fragilizada moeda local

Danielle Chaves, da Agência Estado,

25 de abril de 2012 | 12h49

A Comissão Europeia retirou o processo de infração contra a Hungria em razão da legislação sobre o banco central do país, abrindo caminho para as negociações sobre o pedido do governo húngaro por uma linha de crédito internacional. Olivier Bailly, porta-voz da Comissão, afirmou que o braço executivo da União Europeia está satisfeito com as mudanças propostas para a legislação.

A Comissão abriu outros dois processos de infração contra a Hungria - envolvendo leis sobre privacidade de dados e sobre a idade de aposentadoria dos juízes - no Tribunal de Justiça Europeu, mas esses dois casos não bloqueiam as negociações sobre assistência internacional.

A Hungria está em busca de um empréstimo preventivo de € 15 bilhões a € 20 bilhões da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional (FMI) para reduzir os custos de financiamento do país e proteger a fragilizada moeda local, o florim. O governo disse que não pretende recorrer de verdade à linha de crédito. As discussões sobre o assunto foram suspensas por causa de preocupações com as políticas do país, especialmente com a legislação sobre o banco central aprovadas em dezembro.

Em um comunicado, o Banco Central da Hungria saudou o início formal das negociações entre o governo, a UE e o FMI e destacou que o governo concordou em garantir a independência do banco central, em linha com o espírito do tratado da UE. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Comissão EuropeiaHungria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.