Hungria usará reserva de petróleo após fim de fornecimento

O ministro de Economia e Transporte húngaro, János Kóka, disse nesta quarta-feira, em Budapeste, que o governo decidiu liberar suas reservas de petróleo e, nos próximos dez dias, usará cerca de 15 mil toneladas por dia, informou a emissora InfoRadio.O fornecimento do petróleo que chega ao país por meio do oleoduto Druzhba, que atravessa a Bielo-Rússia, foi interrompido na segunda-feira à noite, pela fornecedora russa, depois de desentendimentos entre os governos dos dois países.Kóka, após uma consulta governamental convocada pelo primeiro-ministro, Ferenc Gyurcsány, acrescentou que provavelmente serão usados os depósitos da companhia petrolífera húngara MOL, armazenados perto da capital Budapeste.A ministra de Exteriores, Kinga Göncz, acrescentou que consultou os embaixadores de Bielo-Rússia e da Rússia, que asseguraram que a disputa entre os dois países será solucionada "rapidamente".Göncz considerou que não se trata somente de uma discussão econômica mas também "de um assunto político" e expressou sua inconformidade com a forma como a interrupção foi realizada, sem uma advertência prévia.A ministra explicou que a Hungria, "se for necessário", será solidária com a Eslováquia, cuja principal refinaria, a Slovnaft, filial da MOL, conta com reservas de apenas 3 ou 4 dias, e lhefornecerá petróleo para satisfazer a demanda por cerca de 90 dias.Zsolt Hernádi, presidente da MOL, afirmou que a companhia analisará a possibilidade de importar petróleo através do oleoduto Adria, que une a Croácia com a Hungria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.