Iata revisa para baixo lucros do setor aéreo em 2008

O preço do petróleo e a crise de créditos nos Estados Unidos terão um impacto no setor aéreo em 2008 e a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata) já revê para baixo os lucros do setor para o próximo ano. Para a América Latina, a previsão é de um lucro marginal. Segundo a organização, que reúne as 200 maiores empresas do mundo no setor da aviação, os lucros das companhias chegarão a US$ 5 bilhões em 2008, abaixo dos US$ 5,6 bilhões deste ano. Em 2007, a alta no preço do combustível foi compensado por aumento do número de passageiros em 5,9%, além de uma renda maior de 8,4% nas contas das empresas. "Pela primeira vez desde 2000 estamos registrando lucros", afirmou o diretor-geral da Iata, Giovanno Bisignani. Segundo ele, o setor ficou mais eficiente e conseguiu reverter as perdas que já somam US$ 400 bilhões. Mas 2008 não será tão positivo como 2007. A Iata previa lucros para as empresas que somariam US$ 7,8 bilhões. O valor foi revisto para baixo diante dos custos do combustível. Apenas com o petróleo, as empresas gastarão US$ 149 bilhões em 2008, US$ 14 bilhões a mais que previam no início do ano.Outro fator é a crise no mercado de créditos nos Estados Unidos. Segundo a Iata, isso deve reduzir em 4,7% a renda das empresas, além de fazer com que o tráfego de passageiros seja reduzido em 4%. No lado positivo, a Iata espera que o número de aeronaves entregues às empresas seja aumentada de 1.041 em 2007 para 1.281 em 2008.Na América Latina, a reestruturação de algumas empresas começa a dar resultados. Mas apenas marginais. A região somará apenas um lucro de US$ 100 milhões, o que servirá somente para compensar as perdas de 2007, principalmente no Brasil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.