Iate de Steve Jobs está retido na Holanda

Designer Philippe Starck cobra conta de herdeiros.

BBC Brasil, BBC

21 de dezembro de 2012 | 15h39

O iate de design minimalista e alta tecnologia encomendado pelo fundador da Apple, Steve Jobs, está retido em um porto de Amsterdã, na Holanda.

O designer francês Philippe Starck alega que os herdeiros de Jobs ainda devem 3 milhões de euros (mais de R$ 8 milhões) do montante de 9 milhões de euros (cerca de R$ 24 milhões) que deveriam ter sido pagos a ele pelo projeto do iate Vênus.

Starck conseguiu que o iate fosse retido, informou nesta sexta-feira seu advogado.

O Porto de Amsterdã confirmou que o barco não pode deixar o local.

"O barco é novo, mas existe uma dívida de 3 milhões de euros sobre ele. As partes envolvidas terão que lutar (pelo iate)", disse à BBC Jeron Ranzijin, porta-voz da administração do porto.

Sem contrato

Roelant Klaassen, um dos advogados que representa a empresa de Starck, a Ubik, disse à agência de notícias Reuters que o iate vai permanecer no porto holandês, aguardando o pagamento da dívida pelos advogados que representam o patrimônio de Jobs.

"(As duas partes) confiavam uma na outra, então não existe um contrato muito detalhado", afirmou.

Philippe Starck e o advogado Gerard Moussault, que representa os donos do Vênus, não comentaram a cobrança.

O Vênus é um iate de 80 metros de comprimento inaugurado em outubro, construído em alumínio por um estaleiro da Holanda a um custo de 105 milhões de euros (R$ 287 milhões).

Starck, que colaborou com Steve Jobs durante cinco anos no projeto da embarcação, havia dito que o barco "mostra a elegância da inteligência".

Jobs morreu em 2011 de câncer no pâncreas e não chegou a ver o barco pronto. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.