‘Iate do amor’ de Aristóteles Onassis está à venda por R$ 72 milhões

Transatlântico de luxo era palco para festas e passeios das personalidades mais ricas e famosas dos anos 1950

Economia & Negócios,

04 de julho de 2013 | 18h24

SÃO PAULO - Se este iate falasse, ele contaria histórias dos romances mais espetaculares do Século XX. O imponente iate Christina O. não é apenas um lindo barco de 99 metros. É um palácio flutuante onde o bilionário magnata Aristóteles Onassis se casou com Jackie Kennedy, a ex-mulher do presidente dos Estados Unidos John F. Kennedy.

O transatlântico de luxo era palco para festas e passeios das personalidades mais ricas e famosas dos anos 1950. Frank Sinatra, Marilyn Monroe, Elizabeth Taylor, Richard Burton e John Wayne, entre muitos outros, divertiram-se em passeios pelas praias mais espetaculares da Grécia. 

Agora o iate foi colocado à venda. O preço, para os interessados, é de US$ 32 milhões, o equivalente a R$ 72,3 milhões. Conhecido por suas festas suntuosas, o navio elegante poderia ser batizado como "Barco do Amor", segundo a CNN, por sua fama em casos que ganharam repercussão internacional, e até mesmo por um casamento real.

Em 1956, o príncipe Rainier de Mônaco e a atriz americana Grace Kelly fizeram sua festa de casamento a bordo do iate, que acomoda 36 pessoas em 18 camarotes de luxo.

Em 1957, o então futuro presidente dos Estados Unidos John F. Kennedy teve seu primeiro encontro com Winston Churchill a bordo do iate.

Onassis namorou a bordo com a cantora de ópera Maria Callas e cruzou locais exóticos em toda a Europa na companhia de estrelas de Hollywood como Greta Garbo, Bette Davis e Margot Fonteyne.

O caso com Maria Callas terminou quando Onassis passou a cortejar a viúva do presidente Kennedy, Jackie, com quem mais tarde se casou, em 1968, também numa festa a bordo do iate, perto de sua ilha privada de Scorpios.

"Aristóteles Onassis viu Christina como um poderoso símbolo de seu império de negócios em crescimento", disse à CNN o empresário  Nicholas Edmiston, presidente da empresa iate Edmiston, que planeja vender o navio em meados de agosto.

"O barco foi realmente a última palavra em opulência e muitas personalidades foram atraídas pela sua capacidade de oferecer-lhes um pouco de privacidade, e não apenas pela sua magnificência", acrescentou.

O barco foi construído em 1943 como uma fragata canadense durante a II Guerra Mundial.

Uma década depois, Onassis comprou o barco por apenas US$ 34 mil (R$ 76,8 mil), e gastou o equivalente a US$ 45 milhões hoje (R$ 102 milhões) para transformá-lo em uma embarcação de luxo.

Quando o magnata morreu, em 1975, o iate foi deixado a sua filha, Christina. Ela por sua vez, doou ao governo grego como um iate presidencial. Mais de 20 anos depois o barco foi restaurado e agora está à espera de um novo dono para novas e espetaculares aventuras.

Tudo o que sabemos sobre:
Onassisiateluxo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.