finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Ibama deve recorrer de liminar que suspende licença de Jirau

Liminar suspende a licença e exige que o início das obras só aconteça quando o instituto liberar outra

Leonardo Goy, de O Estado de S.Paulo

24 de novembro de 2008 | 14h56

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) deverá apresentar entre terça  e quarta-feira recurso para tentar cassar a liminar na 3ª Vara Federal de Rondônia, que suspendeu a licença ambiental, que autoriza a execução dos trabalhos iniciais da usina hidrelétrica de Jirau, no Rio Madeira. "Estamos estudando uma estratégia da defesa e deveremos apresentar o recursos entre amanhã e quarta-feira", disse à Agência Estado a chefe da Procuradoria do Ibama, Andrea Vulcanis. A liminar suspende a licença dada pelo Ibama e exige que o início das obras só aconteça quando o instituto liberar a licença de instalação para todo o empreendimento.  Veja Também: Liminar suspende licença ambiental provisória para Jirau O documento assinado na semana passada pelo Ibama autoriza o consórcio Energia Sustentável do Brasil (Enersus) apenas a instalar o canteiro de obras e executar outros trabalhos iniciais, como a chamada ensecadeira - espécie de dique que seca parte do leito do rio. A procuradora do Ibama argumenta que a licença dada pelo Ibama não é parcial. Ela explica que até então o consórcio havia pedido apenas autorização para esses trabalhos iniciais. "Nós demos uma licença para o que nos foi pedido. Portanto, não é uma licença parcial. Em obras, como rodovias, as licenças também saem por trechos", argumentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.