Ibama diz que licença da usina de Jirau sai em abril

Licença sai apesar da multa, que foi dada devido ao corte de floresta nativa em área de preservação

Irany Tereza, da Agência Estado,

20 de fevereiro de 2009 | 18h35

O presidente do Ibama, Roberto Messias, informou à Agência Estado que a licença de instalação para a usina hidrelétrica de Jirau, no Rio Madeira (RO), sai até abril, apesar da multa de R$ 475 mil imposta pelo órgão ao consórcio responsável pela obra, devido ao corte de floresta nativa em área de preservação ambiental permanente no entorno da usina. Veja também:Ibama multa consórcio responsável por obras de Jirau Segundo Messias, a fiscalização e a multa fazem parte de um "processo normal, que não invalida a licença". "É um fato relativamente pequeno, que faz parte do processo administrativo normal. Está tudo correndo dentro da normalidade", declarou o executivo. O Ibama concedeu, no fim do ano passado, licença para obras de um canteiro pioneiro da hidrelétrica. "Em um determinado momento, eles (Consórcio Energia Sustentável do Brasil, que administra a obra) saíram do polígono permitido e, como o Ibama fiscaliza passo a passo, foi aplicada multa administrativa. Eles têm prazo de 20 dias para recorrer, ou para não pagar ou para converter a multa", explicou Messias. Ele defendeu a importância da obra de Jirau e minimizou o problema que acarretou a multa. "Não tem sentido por causa de um detalhe pequeno ficar paralisando uma obra que é de interesse público nacional maior, para não termos que ficar construindo mais termelétrica a carvão e petróleo, que custam uma fortuna e poluem, aumentando o aquecimento global", declarou.

Tudo o que sabemos sobre:
JirauIbama

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.