coluna

Louise Barsi explica como viver de dividendos seguindo o Jeito Barsi de investir

Ibama multa consórcio responsável por obras de Jirau

O Ibama autuou o consórcio Energia Sustentável do Brasil em R$ 475 mil pelo corte de floresta nativa em área de preservação ambiental permanente no entorno da usina de Jirau, no Rio Madeira. Segundo o órgão ambiental, a empresa tem autorização para suprimir 40,83 hectares de vegetação na margem direita do Madeira, para abertura de estradas de acesso, pedreira e estoque do canteiro de obra, mas chegou a cortar vegetação na área onde ficará o canteiro permanente, que ainda não foi autorizada. Em nota oficial, o Ibama informou que a área desmatada sem licença chega a 18,65 hectares. Além da multa, a área foi embargada. Segundo a legislação, a empresa terá 20 dias para apresentar uma defesa. Procurado pela Agência Estado, o consórcio informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que ainda está analisando a autuação do Ibama. A usina de Jirau recebeu licença apenas para a instalação de um canteiro prévio, necessário para iniciar as obras antes da cheia no rio.

NICOLA PAMPLONA, Agencia Estado

10 de fevereiro de 2009 | 17h26

Tudo o que sabemos sobre:
energiaJirauIbama

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.