Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

IBC-BR cai 0,18% em maio de 2014 ante abril, com ajuste

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) caiu 0,18% em maio de 2014 em relação ao mês imediatamente anterior, após registrar alta de 0,05% entre março e abril (dado revisado), na série com ajuste sazonal. De acordo com dados divulgados nesta quinta-feira, 17, pelo BC, o número passou de 147,14 pontos em abril para 146,88 pontos em maio na série dessazonalizada.

VICTOR MARTINS, Agência Estado

17 de julho de 2014 | 09h01

A alta do IBC-Br ficou abaixo da mediana das projeções dos analistas do mercado financeiro ouvidos pelo AE Projeções - queda de 0,30%. As estimativas iam de recuou de 0,70% a alta de 0,10%.

Ainda em base mensal, o IBC-Br sem ajuste registrou queda de 1,59%. Na comparação anual, houve baixa de -0,17%. Na série sem ajuste sazonal, o quinto mês deste ano terminou com IBC-Br em 148,69 pontos. O resultado do indicador de maio frente a igual mês de 2013 ficou abaixo da mediana das expectativas (-0,80% a +0,70%, com mediana de -0,30).

Nos 12 meses encerrados em maio, o crescimento foi de 1,93% na série sem ajuste.

O IBC-Br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses e tem grande influência sobre as estimativas do mercado financeiro para o Produto Interno Bruto (PIB), divulgado a cada três meses pelo IBGE. O indicador também é conhecido popularmente como "PIB do BC", embora não possa ser considerado como uma prévia do dado do IBGE.

Tudo o que sabemos sobre:
IBC-Brmaio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.