IBC-Br no 1º trimestre é a maior taxa desde 2011

A alta de 1,05% do Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) no primeiro trimestre de 2013, em relação aos três meses anteriores, é o maior resultado trimestral desde a elevação de 1,45% verificada no mesmo período de 2011, nos dados com ajuste sazonal.

EDUARDO CUCOLO, Agencia Estado

16 de maio de 2013 | 10h36

Os números do BC mostram ainda que, em 2012, houve queda de 0,48% no primeiro trimestre, alta de 0,26% no segundo trimestre, elevação de 0,82% no terceiro e aumento de 0,63% nos últimos três meses do ano, sempre em relação ao trimestre anterior na comparação com ajuste. A alta do IBC-Br no ano passado em relação a 2011 foi de 0,65% no dado sem ajuste, segundo os novos números divulgados pelo BC.

O IBC-Br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses e tem grande influência sobre as estimativas do mercado financeiro para o Produto Interno Bruto (PIB), divulgado a cada três meses pelo IBGE.

Apesar da expectativa de comentários da equipe econômica, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse apenas que o resultado do IBC-BR foi "muito bom".

Tudo o que sabemos sobre:
IBC-Br1º trimestre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.