Iberdrola pede revisão de tarifas ao governo espanhol

A empresa espanhola de energia Iberdrola SA, que inaugurou formalmente sua geradora de 300 milhões de euros (US$ 296,4 milhões), com 800 megawatts, em Castellon, na região leste da Espanha, solicitou ao governo espanhol a revisão das tarifas de eletricidade, de modo a permitir que a companhia recupere seus investimentos. A Iberdrola está construindo geradoras de 5.600 megawatts na Espanha e está investindo 8 bilhões de euros (US$ 7,90 bilhões) no mercado espanhol de eletricidade até 2006. O governo espanhol está preparando um novo sistema que estabelece as tarifas de eletricidade, que tem como objetivo equilibrar as necessidades dos fornecedores e consumidores e ao mesmo tempo manter a inflação sob verificação. Rodrigo Rato, ministro das Finanças da Espanha, que também participou da inauguração em Castellon, não quis fornecer detalhes sobre a planejada reforma das tarifas.Ingancio Sanches Galan, executivo-chefe da Iberdrola, disse que os investimentos no Brasil e no México po erão ser adiados, mas apenas por razões administrativas, como por exemplo, atrasos nas licitações de eletricidade no México. Galan disse que ele não discutiu com Rato a venda da rede de alta tensão da Iberdrola à norte-americana CVC Partners, por 577 mi lhões de euros (US$ 570,0 milhões). O governo está revendo essa operação, e a imprensa espanhola informa que o governo prefere que os ativos da Iberdrola sejam vendidos para a Red Electrica España SA, que controla boa parte da rede de cabos de eletricida de de alta tensão da Espanha. No Brasil, a Iberdrola tem participação nas distribuidoras de eletricidade Celpe (Pernambuco), Cosern (Rio Grande do Norte) e Coelba (Bahia), além da Usina de Itapebi, na Paraíba. As informações são da agência Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.