IBGE aponta aumento de vendas do comércio

As vendas do comércio varejista cresceram em agosto pelo segundo mês consecutivo, com alta de 2,29% na comparação com agosto do ano passado. A receita nominal do comércio varejista, segundo os dados divulgados hoje pelo IBGE, aumentou 8,94% no ano nessa mesma base de comparação. Os indicadores acumulados, porém, continuam registrando queda, com variação de -0,10% no acumulado de janeiro a agosto deste ano em relação a igual período do ano anterior e de -0,72% nos últimos 12 meses. O destaque positivo de agosto veio do segmento de combustíveis e lubrificantes, com aumento de 10,44% nas vendas em relação ao mesmo mês do ano passado.Crescimento temporárioO técnico do Departamento de Comércio do IBGE, Nilo Lopes, disse que o aumento de 2,29% nas vendas do comércio em agosto foi resultado do crescimento temporário do poder aquisitivo da população, em conseqüência dos empregos gerados na campanha eleitoral e a devolução da parcela residual do fundo de garantia. Segundo ele, os segmentos que mais se beneficiaram desses fatores pontuais foram combustíveis e lubrificantes (10,44%, por causa da utilização de maior frota de veículos nas campanhas); hiper e supermercados (2,35%) e tecidos, vestuário e calçados (2,27%). O pior desempenho no mês foi de veículos, motos e partes (-14,66%) porque, segundo Lopes, esse é um segmento que precisa de estabilidade da renda e disponibilidade de crédito para expansão das vendas. O crescimento das vendas em geral do varejo em agosto representou a única vez desde o início da série da pesquisa mensal de comércio do IBGE, em janeiro de 2001, que houve dois aumentos consecutivos para o setor. Em julho as vendas do comércio haviam crescido 1,85%, após uma queda de 1,99% em junho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.