carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

IBGE aumenta estimativa da produção de grãos

A safra de cereais, leguminosas e oleaginosas pode chegar a 116,298 milhões de toneladas em 2003 segundo informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A estimativa faz parte do levamento sistemático de produção agrícola de abril, que é 19,73% superior à produção obtida em 2002 e 2,36% acima da estimativa realizada pelo instituto em março, quando a previsão de safra foi de 113,620 milhões de toneladas. Na comparação com a estimativa de março, em abril houve variações positivas nas estimativas de produção de cinco produtos: arroz em casca (2,86%), feijão em grão segunda safra (3,01%), milho em grão segunda safra (7,35%), sorgo em grão (13,7%) e trigo em grão (4,69%). Na comparação com a produção efetiva de 2002 houve elevação nas estimativas de produção de 2003 nos seguintes produtos: algodão herbáceo em caroço (3,59%), arroz em casca (3,63%), feijão em grão primeira safra (1,84%) e milho em grão segunda safra (53,04%). Na avaliação do IBGE, o milho de segunda safra e o trigo são as duas grandes culturas em desenvolvimento nos campos nacionais durante o inverno. A entidade acrescenta que as culturas plantadas na primeira safra estão praticamente colhidas e têm produtividade superior a 2002. As condições climáticas, que foram favoráveis às lavouras do primeiro ciclo, continuam, com quantidade de chuvas suficientes para o bom desenvolvimento das lavouras.Segundo o chefe do Departamento de Agropecuária do IBGE, Carlos Alberto Lauria, o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola de abril, é a primeira estimativa do ano que não mais utiliza simulações, com dados do ano passado, para calcular a previsão de produção de 2003. Para o técnico, se a previsão mudar, ao longo do ano, do que foi divulgado hoje, "vai mudar pouco".

Agencia Estado,

30 de maio de 2003 | 10h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.