IBGE corrige: CE e ES tiveram expansão maior em março

O IBGE retificou a informação de que os dez locais que tiveram expansão da produção industrial em março deste ano, na comparação com igual período de 2007, também tiveram redução de ritmo em relação aos meses anteriores. Mais cedo, o instituto havia dito que 10 locais mostraram expansão em março, na comparação com março do ano passado, porém, haviam apresentado ritmo menor do que nos meses anteriores, assim como ocorreu no caso nacional. Houve duas exceções. Uma delas é o Ceará, que acelerou seu ritmo de crescimento acumulado em 2008 em relação a 2007, passando de 2,53% no primeiro bimestre deste ano para 4,4% no primeiro trimestre, devido a um aumento de 7,9% em março ante igual mês do ano passado. Outra é o Espírito Santo, que com elevação de 15,1% em março em relação a março do ano passado, elevou um pouco sua taxa acumulada em 2008, passando de 14,06% no primeiro bimestre para 14,4% no primeiro trimestre.De acordo com a gerente de Análise e Estruturas Derivadas do IBGE, Isabella Nunes, isso não altera, porém, o quadro geral de que a desaceleração observada na média nacional, de 9,2% nos dois primeiros meses do ano para 6,3% no primeiro trimestre de 2008, não foi um fenômeno concentrado geograficamente, mas sim que atingiu diferentes locais do País.Para Isabella Nunes, o fator principal para a desaceleração foi o calendário, já que em março deste ano houve dois dias úteis a menos que em relação a março do ano passado. De acordo com ela, isso pesa muito em setores onde há grande produção por cotas diárias e citou, como exemplo, a indústria automobilística, mas vê possibilidade também de a greve dos auditores fiscais da Receita Federal ter tido efeito. "Os efeitos da greve devem aparecer claramente em abril", afirmou, observando que o movimento trabalhista teve início no dia 18 de março, mas durou todo o mês de abril.Isabella comentou que no Estado do Amazonas, onde há muitas empresas montadoras de eletrônicos e equipamentos de informática, que usam muitas partes importadas, houve uma queda de 7,6% da produção industrial em março em relação a fevereiro. Naquele Estado, a alta em relação a março do ano passado foi de apenas 2,1%, o que levou a taxa acumulada no ano comparada a período igual de 2007 a baixar de 17,75% até fevereiro para 11,7% até março.A técnica lembrou que o coordenador de Indústria, Sílvio Sales, comentou que o efeito calendário em abril será positivo já que o mês passado teve um dia útil a mais que abril de 2007. Por outro lado, ela lembrou que, se for confirmada a possibilidade de que a greve dos fiscais da Receita está afetando negativamente a indústria, essa influência negativa aparecerá mais em abril.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.