IBGE: crédito seletivo e IPI fizeram consumo encolher

O ritmo menor de crescimento no consumo das famílias foi reflexo da volta da cobrança do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre veículos e eletrodomésticos, o impacto da inflação sobre a massa salarial e o crédito mais seletivo, avaliou a coordenadora de Contas Nacionais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Rebeca Palis.

FERNANDA NUNES, MÔNICA CIARELLI, MARIANA DURÃO E VINÍCIUS NEDER, Agencia Estado

29 de maio de 2013 | 10h40

Segundo ela, o aumento da inflação vem corroendo a massa salarial. "A despesa das famílias vem crescendo, mas, em ritmo mais baixo", afirmou. Os dados divulgados nesta quarta-feira, 29, pelo IBGE mostram que o consumo das famílias cresceu apenas 0,1% no primeiro trimestre de 2013 em relação ao trimestre imediatamente anterior.

Já na comparação com o 1º trimestre de 2012, o consumo das famílias subiu 2,1%, a 38ª alta consecutiva nesta base de comparação.

Tudo o que sabemos sobre:
IBGEPIB1º trimestreconsumo famílias

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.