IBGE: desemprego segue estável em 6% em agosto

A taxa de desemprego apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nas seis principais regiões metropolitanas do País ficou estável em 6,0% em agosto, no mesmo nível registrado em julho. O resultado ficou dentro do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pela Agência Estado, que iam de 5,9% a 6,2%, e ligeiramente abaixo da mediana, de 6,1%.

DANIELA AMORIM, Agencia Estado

22 de setembro de 2011 | 09h23

O rendimento médio real dos trabalhadores registrou variação positiva de 0,5% em agosto ante julho e aumento de 3,2% na comparação com agosto do ano passado.

O rendimento médio real habitual dos trabalhadores ocupados no País foi de R$ 1.629,40 em agosto, uma alta de 0,5% em comparação a julho, segundo a Pesquisa Mensal de Emprego, divulgada pelo IBGE. Na comparação com agosto do ano passado, o poder de compra dos ocupados cresceu 3,2%.

A massa de rendimento médio real habitual dos ocupados foi de R$ 37,2 bilhões, em agosto, 1,4% acima da registrada em julho e 5,6% maior em relação a agosto de 2010. A massa de rendimento real efetivo dos ocupados ficou em R$ 36,9 bilhões em julho de 2011, um aumento de 1,4% ante o mês anterior e de 5,7% na comparação com o mesmo período de 2010.

Tudo o que sabemos sobre:
desempregoIBGEagosto 2011

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.