Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

IBGE detecta 'acomodação' na produção industrial

A queda na produção industrial regional de julho, na comparação com junho, apontada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é mais uma acomodação do que uma tendência. A avaliação é da economista Isabella Nunes, da coordenação de indústria do Instituto. O principal impacto para a queda total de 0,4% na produção industrial brasileira em julho ante junho foi dado por São Paulo, onde houve recuo de 0,3% nessa base de comparação. "A queda em São Paulo é uma acomodação e não muda a trajetória de crescimento do setor no Estado", disse Isabella.De acordo com Isabella, a indústria de alimentos, que registrou desempenho ruim no total do País em julho, tem forte peso em São Paulo e representou uma das principais influências negativas no Estado, além do setor farmacêutico. Em ambos os casos, a economista avalia que os recuos são pontuais.Apesar de a indústria paulista ter representado o principal impacto de queda da produção nacional em julho na comparação com o mês anterior, foi também a principal influência positiva na comparação com julho do ano passado.As outras influências regionais de queda na produção industrial foram Ceará (-5,8%), Rio de Janeiro (-0,8%), Pernambuco (-4,2%) e Amazonas (-1,7%). Na contramão da queda, a economista do IBGE ressaltou que o desempenho das 14 regiões pesquisadas mostra que os melhores resultados foram apurados em locais onde há forte peso da indústria automobilística, de bens de capital e commodities exportadoras, sobretudo minério de ferro.

JACQUELINE FARID, Agencia Estado

10 de setembro de 2007 | 13h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.