IBGE: divulgação de IPCA e dados industriais está garantida

Apesar do prejuízo causado pela greve dos servidores do IBGE à divulgação da pesquisa mensal de emprego nesta quinta-feira, o diretor-executivo do instituto, Nuno Bittencourt, garantiu que as próximos levantamentos do instituto serão mantidos e divulgados no prazo agendado.

RODRIGO VIGA GAIER, Reuters

26 de julho de 2012 | 16h03

"Ficamos preocupados com o que aconteceu porque temos um compromisso em deixar a sociedade bem informada. Divulgamos o que deu e o que tínhamos certeza da qualidade", disse ele.

"A gente poderia ter adiado se tivesse perspectiva de divulgação do dado do Rio que era o que faltava, mas não há perspectiva. Temos certeza que IPCA, PIM, INPC estão em ordem, acrescentou.

No dia 1o de agosto, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística divulga os dados da produção industrial em junho e no dia 8 os números de julho do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que serve de referência ao sistema de metas de inflação do governo.

"A chance de eles não serem divulgados é zero. Vai ser normal", disse à Reuters o executivo do IBGE. "A pesquisa industrial já está sendo finalizada e não há problemas na transmissão dos dados até o momento."

Nuno Bittencourt lembrou que na semana passada, em meio à greve dos servidores do IBGE, o IPCA-15 --calculado em 11 regiões do país-- foi divulgado sem prejuízos a qualidade do levantamento.

TERCEIRIZADOS

A vantagem, de acordo com o diretor do IBGE, é que as pesquisas de campo com coletas de preços são feitas por profissionais temporários/terceirizados. A paralisação atinge somente os servidores concursados.

"Não temos nenhum perda no índice de preços. O IPCA está em processo de transmissão, mas não há nenhum sinal que haverá prejuízo e ao que tudo indica todos os prazos serão respeitados", disse ele. " Eles( terceiros) têm uma relação de trabalho diferenciada... o pessoal temporário não está em greve e o salário deles é diferente."

A transmissão desse dados do IPCA compilados em lojas, supermercados, prédios e outros estabelecimentos do país segue normalmente e a transmissão para o sistema do IBGE já está em fase final, segundo uma fonte do IBGE que pediu para não ser identificada. O prazo limite para o repasse desses dados é sexta-feira.

"São mais de 2 mil locais visitados por mês nas 11 regiões e esse é um trabalho feito por temporários que trabalham normalmente", disse a fonte. "Já recebemos mais de 90 por cento dessas informações e não há nenhum prejuízo . Foi uma coleta normal."

Na próxima semana, o IBGE divulga duas pesquisas industriais, o Índice de Preço ao Produtor (IPP) e o Índice de Produção Mensal (PIM), e Bittencourt garante que todas as informações já foram transmitidas e estão em fase de análise crítica

Uma outra fonte no IBGE destacou que os índices industriais têm menos coletas de campo e são produzidos basicamente com questionários eletrônicos respondidos pelas empresas consultadas.

"Mais de 90 por cento vem desses questionários e os padrões de respostas são os mesmos; não houve mudança de padrão", disse a fonte.“ "O que tem acontecido é que alguns que não estão envolvidos diretamente na greve estão tendo que se desdobrar e trabalhar mais para garantir prazos e processo de produção."

O IBGE negocia com o governo a apresentação de uma contra-proposta aos servidores em greve do instituto, que pedem aumento de 22 por cento, entre outra reivindicações.

Tudo o que sabemos sobre:
IBGEIPCAGARANTIDO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.