IBGE e Conab unificam anúncio de safra, não de dados

A divulgada intenção do governo de ter uma estimativa unificada para a safra agrícola ficou só no papel. Em entrevistas simultâneas realizadas hoje no Rio de Janeiro e em Brasília, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgaram números diferentes para a safra total de grãos e para a produção das duas principais culturas do País, a soja e o milho de verão. A maior diferença está na estimativa para a safra total. Enquanto a Conab estimou colheita de 134,8 milhões de toneladas na safra 2007/08, que deve ser colhida a partir de fevereiro, o IBGE aponta produção de 133,2 milhões de toneladas em 2007 e de 137,3 milhões de toneladas em 2008. Mesmo com as diferenças, o diretor de Logística da Conab, Sílvio Porto, comemorou o anúncio "unificado". "O anúncio de hoje é histórico. Depois de quase três anos de negociações, chegamos a um consenso", afirmou. Porto tentou explicar a divergência dos números, citando diferenças na previsão de rendimento das lavouras de milho e soja do Rio Grande do Sul e na área plantada com algodão em Mato Grosso. Além disso, há divergências em relação à área que será plantada com milho safrinha (também chamada de segunda safra ou safra de inverno) a partir de março.Porto explicou que técnicos do IBGE conversaram com agricultores, especialmente do Mato Grosso, sobre o plantio da safrinha do próximo ano. A Conab optou por calcular a média de produção do milho safrinha nos últimos anos e repetiu esse dado na estimativa divulgada hoje. SojaPara a soja, o IBGE estimou colheita de 59,3 milhões de toneladas em 2008, crescimento de 2% em relação a 2007. De acordo com a Conab, a produção de soja na safra 2007/08 será de 58,1 milhões de toneladas, com queda de 0,5%. MilhoAs lavouras de milho da safra de verão devem render 37,3 milhões de toneladas, segundo a Conab. Para o IBGE, a safra 2008 de milho será de 38,3 milhões de toneladas, crescimento de 5,5% em relação ao colhido neste ano. Número únicoPorto salientou que a diferença entre as previsões está dentro de um intervalo de confiança, ou seja, que a oscilação é inferior a 2%. A expectativa é chegar a um número único a partir da próxima estimativa, prometida para 8 de janeiro. Ele observou ainda que a Conab considera outros fatores em suas previsões, como as condições climáticas futuras. O IBGE divulga números com base apenas nas entrevistas com produtores.Porto acrescentou que a Conab e o IBGE unificaram a metodologia de estimativa de safra, mas cada órgão continua usando critérios próprios. A estimativa da Conab, por exemplo, é feita com base no ano agrícola, que vai de julho a junho do ano seguinte. Já o IBGE calcula a produção com base no ano civil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.