IBGE explica diferença entre o PIB e as previsões do mercado

A economista Rebeca Palis, da Coordenação de Contas Nacionais do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), explicou que a diferença entre as expectativas do mercado e os dados do Instituto para o PIB do terceiro trimestreestá relacionada à elevada base de comparação do ano passado e a questões metodológicas. Ela disse que os bancos costumam utilizar os dados da pesquisa industrial mensal do IBGE para as projeções do PIB. No entanto, essa pesquisa não inclui os dados da construção civil, que têm forte influência na ponderação da participação da indústria no PIB. Outro fator apontado por Rebeca é que provavelmente o mercado esperava um desempenho melhor para o segmento de comunicação porque o IBGE havia anunciado que passaria a computar os dados de telefonia móvel que, porém, têm peso pequeno (10%) no segmento de telefonia no PIB. A economista explicou ainda que as quedas registradas na agropecuária no terceiro trimestre provavelmente também foram maiores do que o esperado pelo mercado, que teria levado em conta a safra recorde do ano. Mas no caso do PIB trimestral a cada trimestre a agropecuária é contabilizada de acordo com o principal produto em safra naquele período. No terceiro trimestre, o café, que segundo projeções do IBGE, deverá apresentar queda de 20% na colheita deste ano, é o produto de maior peso no cálculo da agropecuária. Rebeca citou como exemplo que a soja, ao contrário do café, terá um aumento de 23% na colheita deste ano, puxou para cima os dados da agropecuária no segundo trimestre e praticamente não teve influência no terceiro trimestre. A base de comparação do ano passado também influenciou a diferença entre as expectativas do mercado e os dados efetivos porque o IBGE revisou de 2,5% para 2,9% o crescimento do PIB no terceiro trimestre de 2002 ante o terceiro trimestre de 2001. Desse modo, a base de comparação ficou mais elevada influenciando "de forma decisiva" a queda de 1,5% do PIB apresentada no terceiro trimesntre comparado ao mesmo período do ano passado. Leia também: PIB brasileiro cresce 0,4% no terceiro trimestre Consumo das famílias cai 3,7%; indústria cresce 2,7%

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.