IBGE: menor nº de dias úteis explica queda da indústria

A queda da produção industrial em 7 dos 14 locais pesquisados pelo IBGE em novembro de 2007 ante outubro do ano passado reflete, assim como ocorreu na média nacional, a base de comparação elevada e o menor número de dias úteis do mês, segundo o economista André Macedo, da coordenação de indústria do instituto. Duas das regiões que estão entre os três principais pólos industriais nacionais tiveram queda: São Paulo (-1,6% ante outubro e a maior influência negativa na média do País) e Rio de Janeiro (-2,5%). Os dois Estados tiveram, em novembro, o feriado da Consciência Negra, o que contribuiu para o resultado negativo. Além disso, novembro teve dois dias úteis a menos do que outubro no ano passado. "Os resultados regionais negativos não alteram a trajetória de crescimento da produção nas regiões, como mostram os resultados mensais e acumulados no ano", disse Macedo. Na comparação com novembro de 2006, quase a totalidade das regiões (ou 13 locais) mostraram expansão, com exceção apenas do Pará. No acumulado do ano passado até novembro, todos os locais apresentaram resultados positivos. "Os resultados industriais continuam amplamente favoráveis, com crescimentos espalhados setorialmente e regionalmente", afirmou.Segundo Macedo, "há um desempenho claramente positivo da indústria regionalmente em 2007, mesmo com recuos na margem da série, e os locais com expansões mais importantes nas comparações anuais confirmam o padrão de crescimento observado em nível nacional, sustentado por bens de capitais e bens de consumo duráveis".Os Estados que puxaram, em termos de impacto, a produção industrial no acumulado de janeiro a novembro foram, nessa ordem: São Paulo (6,1%), Minas Gerais (8,8%) e Rio Grande do Sul (8,0%). Macedo destacou que essas três regiões têm forte presença na indústria de máquinas e equipamentos, automóveis e commodities como minério de ferro e açúcar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.