IBGE não fala em recessão e diz que papel é medir ciclos

O coordenador de contas nacionais do IBGE, Roberto Olinto, disse que não comentará se o País está ou não em recessão porque essa não é uma atribuição do instituto. "O IBGE não tem competência para discutir isso, nossa atribuição é medir, e não qualificar, o ciclo da economia", afirmou.

JACQUELINE FARID E ADRIANA CHIARINI, Agencia Estado

09 de junho de 2009 | 12h00

Olinto comentou que o conceito de recessão técnica, que consiste na queda do Produto Interno Bruto (PIB) por dois trimestres consecutivos, é utilizado em vários locais do mundo, mas difere da definição usada, por exemplo, na União Europeia (UE) e nos Estados Unidos. Segundo ele, os comitês dessas regiões definem recessão a partir de uma variedade maior de informações e não apenas a variação do PIB, como dados de rendimento, emprego, vendas do varejo e produção da indústria.

Ele lembrou que há uma frase muito usada entre os economistas que diz: "Pergunte a 100 economistas o que é recessão ou depressão e haverá 100 respostas diferentes". Sobre a conclusão do Comitê de Datação de Ciclos Econômicos (Codace) da Fundação Getúlio Vargas (FGV) de que o Brasil está em recessão há seis meses, divulgada no fim do mês passado, e que leva em consideração questões similares às observadas pelos comitês europeu e norte-americano, Olinto afirmou que "a FGV é um instituto respeitável, mas não podemos falar nada além de que há dois trimestres com o PIB em queda".

Tudo o que sabemos sobre:
PIBIBGErecessão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.