IBGE prepara novos índices de inflação

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) está se preparando para calcular novas inflações a partir de 2004. Responsável pela produção do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) - que baliza as metas do governo -, o instituto está finalizando o projeto de inflação para o Mercosul (IPCH), já iniciou coleta piloto para o Índice de Preços da Produção (IPP) e criará um novo IPCA. Baseado hoje em regiões metropolitanas, o índice vai virar efetivamente nacional, com informações de todas as unidades da federação.O mais adiantado dos novos projetos é o Índice de Preços ao Consumidor Harmonizado para o Mercosul e Chile, que vai ser designado pela sigla IPCH. O estudo técnico já está na reta final. Depois de concluído, cada instituto de estatística dos países apresentará o projeto aos seus governos, até o fim deste ano.Assim, os países da região terão uma taxa comparável aos demais, como ocorre na União Européia (UE). No dia 27, os institutos dos cinco países reúnem-se com representantes da UE num encontro preparatória para o relatório final.O indicador levará em conta uma cesta de produtos pesquisados nos índices de preços de cada país que podem ser comparados entre si. Cada país terá o seu IPCH. Não há previsão para um índice geral do Mercosul. "Nesta primeira listagem, não vamos contemplar 100% dos itens investigados em cada país. Alguns não guardam graus e comparação", conta Márcia Quintslr, coordenadora do Sistema de Índice de Preços (SIP) do IBGE.Inflação brasileiraFeito hoje com base na coleta de dados nas 11 principais regiões metropolitanas do País, o IPCA passará a ser apurado nos 27 Estados do País, mais o Distrito Federal, com representatividade na capital e no interior. Cada unidade da federação terá sua inflação individual."Daí vai surgir um índice de preços nacional, com representação para cada um dos Estados e uma cobertura que não vai se restringir apenas à capital e à região metropolitana", conta Nunes. Os preços no interior também serão retratados.O IBGE trabalha para fazer a publicação do novo IPCA em 2005. Os cálculos começarão a ser feitos no ano que vem. São necessários pelo menos 13 meses de resultados para que haja a divulgação do primeiro índice - assim, podem ser feitas comparações com o ano anterior e os últimos meses.ProdutorO IBGE também trabalha numa nova família de indicadores de inflação ao produtor. O IPP terá três ramos: industrial, agrícola e de serviços. O índice ao produto industrial está em curso. A coleta se dá junto às empresas que já informam o volume de produção em unidades, para a pesquisa mensal de produção física.Neste caso a expectativa é de que o índice saia em 2005, mas o prazo vai depender da ampliação do orçamento do IBGE. Para a taxa de preços ligada à produção agrícola, o projeto ainda está em fase de identificação da listagem de produtos e metodologia. O que deverá demorar mais é o de serviços.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.