coluna

Louise Barsi explica como viver de dividendos seguindo o Jeito Barsi de investir

IBGE prevê recuo de 7,6% da safra agrícola de 2009

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revisou mais uma vez para baixo as estimativas para a safra de grãos em 2009. O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola do instituto, relativo a janeiro, prevê uma safra total de 134,7 milhões de toneladas em 2009, com queda de 7,6% ante a safra anterior. No levantamento de dezembro de 2008, a estimava era de uma safra de 137,3 milhões de toneladas. A área plantada deverá aumentar 0,8% em 2009 ante a safra anterior, totalizando 47,6 milhões de hectares.ConabNo quinto levantamento de safra divulgado hoje pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção de grãos na safra 2008/2009 deve apresentar redução de 6,5% em relação ao ciclo anterior, totalizando 134,7 milhões de toneladas. O número representa uma redução de 1,7% sobre a pesquisa de janeiro (137 milhões de toneladas). Na safra 2007/2008, o País colheu 144,1 milhões de toneladas.Segundo os técnicos da Conab, a produção nacional de grãos continua a apresentar prejuízos provocados pelo clima, em particular pela estiagem registrada desde novembro em Mato Grosso do Sul e nos Estados da Região Sul.As culturas que mais sofreram com os impactos climáticos até agora são o milho (primeira e segunda safras) e soja. A produção de milho deve apresentar queda de 14,2% (de 58,6 milhões para 50,3 milhões de toneladas). A safra de soja pode registrar recuo de 4,7% (de 60 milhões para 57,2 milhões de toneladas). "Apesar da diminuição, a produção de grãos é a segunda maior da história e se mantém em um nível confortável, não comprometendo o abastecimento interno", adiantou o presidente da estatal, Wagner Rossi.

JACQUELINE FARID E FABÍOLA SALVADOR, Agencia Estado

05 de fevereiro de 2009 | 10h26

Tudo o que sabemos sobre:
safra agrícolaIBGEConab

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.