IBGE: Previdência teve 5,9% mais contribuintes em 2008

O número de contribuintes para a Previdência no Brasil subiu 5,9% em 2008 ante o ano anterior, segundo revela a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com a pesquisa, das 92,4 milhões de pessoas de 10 anos ou mais de idade ocupadas no País no ano passado, 48,1 milhões, ou 52,1%, eram contribuintes.

JACQUELINE FARID, Agencia Estado

18 de setembro de 2009 | 10h54

Segundo os técnicos do IBGE, o aumento do número de contribuintes foi impulsionado pelo crescimento do emprego com carteira assinada. Regionalmente, o Sudeste registrou o maior porcentual de contribuintes (62,9% do total de ocupados) no ano passado, enquanto o Nordeste obteve o menor porcentual (33,9%).

A Pnad revelou também um aumento no número de trabalhadores associados a sindicatos no ano passado, que representaram 18,2% do total de pessoas ocupadas no País no período, somando 16,8 milhões de sindicalizados. Em 2007, os associados a sindicatos representavam 17,7% dos ocupados e somavam 15,9 milhões de trabalhadores.

A Pnad é realizada anualmente e investiga os temas de habitação, rendimento e trabalho, associados a aspectos demográficos e educacionais. A pesquisa tem seus primórdios em 1967, quando foi iniciada apenas na área do Rio de Janeiro, e na atualidade é realizada nacionalmente, por meio de uma amostra de domicílios. No levantamento divulgado hoje foram pesquisadas 391.868 pessoas e 150.591 unidades domiciliares, distribuídas por todo o País. A parte de rendimento da Pnad aperfeiçoa a estimativa de rendimento das famílias usada nas contas nacionais. Além disso, a Pnad é utilizada na estimativa da população brasileira. A pesquisa ainda é tomada como base para o estudo chamado Síntese de Indicadores Sociais, que o IBGE divulgará em outubro.

Tudo o que sabemos sobre:
IBGEPnadPrevidência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.