finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

IBGE: Produção de milho supera a de soja em 2012

A produção de milho superou a de soja em volume no ano passado, na esteira da quebra de safra dos Estados Unidos (o maior produtor mundial), que impulsionou os preços. Com esse incentivo, o município de Sorriso, em Mato Grosso (MT), aumentou a sua produção em 124,6% em 2012 ante 2011 e tomou a liderança no ranking de municípios com as maiores produções. As informações são da Pesquisa Agrícola Municipal (PAM), divulgada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

IDIANA TOMAZELLI, Agencia Estado

25 de outubro de 2013 | 10h17

No total, Sorriso produziu 1,998 milhão de toneladas do cereal, o que se traduziu em ganhos de R$ 559,774 milhões. A expansão da área colhida para 350,420 mil hectares, ante 211,030 mil hectares em 2011, foi o que permitiu que o município superasse Jataí, em Goiás, que liderou o ranking de produção de milho no ano anterior.

Em segundo lugar, Jataí produziu 1,221 milhão de toneladas do grão, cujo valor somou R$ 433,029 milhões. A área colhida foi de 176,500 mil hectares, cerca de 23,5 mil hectares a mais do que em 2011.

Apesar desses destaques pontuais, o Paraná segue como o Estado líder na produção de milho, respondendo por 16,555 milhões de toneladas. Mato Grosso é o segundo na lista e, com um salto de 101,5% na produção, se aproximou do Paraná. No total, foram 15,646 milhões de toneladas de milho. Os dois Estados estão isolados no topo da lista, uma vez que Goiás, na terceira colocação, teve uma produção de 8,230 milhões de toneladas.

Segunda safra

O ano de 2012 também marcou a primeira vez na história da agricultura em que a segunda safra do milho, de 38,3 milhões de toneladas, superou a primeira safra, que foi de 32,8 milhões de toneladas. O desempenho foi influenciado pelos Estados do Centro-Oeste, que produziram 25,720 milhões de toneladas só na segunda safra.

No total, o País produziu 71,072 milhões de toneladas de milho no ano passado. Em 2011, esse volume havia sido de 55,660 milhões de toneladas.

Produção de soja

A seca que afetou a região Sul, Mato Grosso do Sul, Bahia e Piauí derrubou a produção de soja em 12% ante 2011 - apesar do crescimento na área plantada - e desbancou a oleaginosa da primeira colocação. Municípios líderes no ranking da soja também sentiram os efeitos da falta de chuvas a registraram quedas na produção. As informações são da Pesquisa Agrícola Municipal (PAM), divulgada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O município de Sorriso (MT), que respondeu por 3% da produção nacional no ano passado e é o maior produtor, viu o volume de soja minguar para 1,961 milhão de toneladas, ante 2,088 milhões em 2011. O segundo na lista passou a ser Sapezal, também em Mato Grosso, que conseguiu expandir a safra em 3,7%, para 1,130 milhão de tonelada.

O município de Nova Mutum (MT), que se posicionava no 2º lugar no ano passado, caiu para terceiro, com retração de 4,7% na produção, para 1,107 milhão de toneladas.

Em termos regionais, o Sul foi a região mais prejudicada pela estiagem e teve queda de 37,3% na produção em 2012 ante 2011. O Rio Grande do Sul teve os maiores prejuízos: a safra em 2012 ficou em 5,945 milhões de toneladas, em comparação com volume de 11,717 milhões de toneladas no ano anterior. Com uma retração de 49,3%, o Estado caiu da 3ª para a 4ª colocação no ranking.

Mato Grosso continua como líder nacional e expandiu sua participação para 33,2% da colheita em todo o País. Mesmo com as adversidades, o Estado conseguiu expandir sua produção em 5%, para 21,841 milhões de toneladas.

A produção total de soja em 2012 foi de 65,848 milhões de toneladas, 12% inferior à de 2011, que ficou em 74,815 milhões de toneladas.

Tudo o que sabemos sobre:
Pesquisa Agrícola MunicipalIBGE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.