IBGE revisa resultados trimestrais do PIB

Segundo trimestre de 2009 registrou queda de 1,6% ante igual período de 2008, e não de -1,2%

Jacqueline Farid e Alessandra Saraiva, AGÊNCIA ESTADO

10 de dezembro de 2009 | 09h40

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quinta-feira, 10, diversas revisões de resultados trimestrais do Produto Interno Bruto (PIB). Segundo o instituto, o PIB do segundo trimestre de 2009 registrou queda de 1,6% ante igual período de 2008, e não de -1,2%, como divulgado anteriormente. Houve revisão também no resultado do primeiro trimestre de 2009 ante igual período de 2008, de -1,8% apresentados anteriormente para -2,1%.

 

O uso do outlier (ponto atípico) no cálculo do resultado do PIB com ajuste sazonal, que causou tanta polêmica na divulgação dos dados do quarto trimestre do ano passado, foi o motivo que levou às fortes revisões nos dados trimestrais. A gerente de contas trimestrais do instituto, Rebeca Palis, explicou que, quando foram introduzidas novas ponderações para os resultados de 2007 e 2008, o sistema de cálculo não reconheceu mais o outlier, que foi retirado, mudando os dados.

 

Outlier é uma expressão em inglês utilizada em estatística que significa que um resultado é muito atípico, fora da curva. Rebeca disse que, se o outlier ainda fosse detectado na introdução dos dados do terceiro trimestre na série, as revisões teriam sido de menor magnitude. "O modelo (de cálculo) não detectou o outlier por muito pouco, é um período muito instável", disse ela. O instituto divulgou hoje uma revisão no resultado do PIB do segundo trimestre de 2009 ante o primeiro trimestre do mesmo ano, de 1,9% para 1,1%, além de várias outras mudanças nos dados trimestrais.

 

"A taxa com ajuste sazonal, numa época em que a economia tem uma dinâmica diferente, traz mais riscos de uma revisão maior", disse Rebeca. Ela exemplifica que o Japão também divulgou ontem uma revisão significativa do PIB trimestral, de 1,2% para 0,3%. "É um momento de instabilidade e todos os países estão praticamente brigando com os seus números por isso", acrescentou o coordenador de contas nacionais, Roberto Olinto. Segundo ele, "o modelo detectou o outlier e nós respeitamos". "Com o passar do tempo, o modelo criou uma nova opção", disse.

 

Rebeca já tinha adiantado, no primeiro trimestre deste ano, que a revisão dos dados na série com ajuste sazonal, a partir do quarto trimestre do ano passado, poderia ser forte. Na época, em entrevista à Agência Estado, Rebeca havia dito que, no caso do "outlier", a opção do instituto foi correta. "Com a série histórica disponível, o modelo de ajuste sazonal considerou o PIB do quarto trimestre de 2008 um dado atípico. Pode ser que haja uma revisão do resultado, caso a introdução de novos dados leve o modelo a entender que esse resultado não é atípico. Mas, de antemão, não podemos considerar que não é atípico, não se sabe o que virá pela frente", explicou ela, na época.

 

Conforme Rebeca explicou ainda naquela ocasião, o instituto poderia até ter aplicado, no ajuste, um tratamento que eliminasse essa interpretação de um quadro atípico, mas isso seria uma mudança em relação à metodologia utilizada, não seria usual.

 

Rebeca ressaltou agora, entretanto, que a questão do outlier foi responsável pela magnitude das revisões, maior do que ocorreria normalmente, mas sempre há revisão na série com ajuste sazonal com a introdução de novos dados. Ainda segundo ela, os dados do segundo trimestre e do primeiro trimestre de 2009 ante iguais períodos do ano passado, também divulgados hoje, tiveram como principal motivo da revisão a introdução de novos dados consolidados que antes eram apenas estimativas.

 

Mais revisões

 

O instituto revisou ainda dados trimestrais ante trimestres imediatamente anteriores. O PIB do segundo trimestre de 2009, nessa comparação, passou de uma variação positiva de 1,9% para 1,1% ante o primeiro trimestre. O resultado do primeiro trimestre de 2009 ante o quarto trimestre de 2008 foi revisado de -1,0% para -0,9%, enquanto o dado do quarto trimestre de 2008 ante o terceiro trimestre de 2008 passou de -3,4% para -2,9%.

 

O resultado do terceiro trimestre de 2008 ante o segundo trimestre de 2008 também foi revisado, de 1,3% para 1,1%.

 

Tudo o que sabemos sobre:
IBGEPIBeconomiarevisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.