IBGE: setor de informática cresce 38,7% em um ano

As vendas do segmento de equipamentos e materiais de informática e escritório continuaram crescendo bem acima da média do varejo em outubro e mostraram expansão de 38,7% ante outubro de 2006. Segundo o técnico da coordenação de comércio e serviços do IBGE, Reinaldo Pereira, o desempenho desse segmento é influenciado pela queda de preços, incentivos governamentais e importância crescente dos produtos de informática e comunicação na cesta de consumo das famílias.No ano, de janeiro a outubro, esse segmento acumula crescimento de 27,1% e em 12 meses, de 25,6%. Para essa atividade, não há comparação de resultados ante mês anterior.O segmento de outros artigos de uso pessoal e doméstico, que inclui lojas de departamento, também mostrou aumento acima da média em outubro na comparação com igual mês do ano passado. (19,8%). Para esse grupo também não há comparação ante mês anterior. "Pela diversidade de itens comercializados, essa atividade tem seu desempenho influenciado pelo favorável quadro geral da economia", disse Pereira. No ano, essa atividade acumula alta de 22,6% e em 12 meses, de 21,6%.SupermercadosA queda de 1,6% apurada nas vendas do grupo de hiper, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo em outubro, na comparação com setembro, pode estar relacionada aos aumentos de preços dos alimentos ao longo do ano, segundo Pereira.Apesar do recuo ante mês anterior, esse grupo registrou expansão das vendas (5,6%) ante outubro do ano passado. Como tem o maior peso na pesquisa (30%), os hiper e supermercados contribuíram, sozinhos, com 2,9 pontos porcentuais do crescimento de 9,6% nas vendas do varejo, em outubro, na comparação com igual mês de 2006.Segundo Pereira, mesmo com os aumentos de preços que podem ter influenciado o recuo ante mês anterior, esse segmento continua beneficiado pelo aumento da massa de salários e a expansão do crédito, já que muitos supermercados aceitam cartões como pagamento. De janeiro a outubro, as vendas desse segmento acumulam alta de 6,5% e, em 12 meses, até outubro, de 6,7%. CombustíveisAs vendas do comércio varejista de combustíveis e lubrificantes prosseguiram na trajetória de crescimento em outubro, com expansão de 1,8% ante setembro e de 6,5% na comparação com outubro do ano passado. O técnico do IBGE disse que o aumento ante igual mês do ano anterior é o 10º consecutivo e o bom desempenho "não só pela conjuntura de crescimento da economia, mas também pelo aumento da frota de veículos, com recordes de venda da indústria automobilística".As condições favoráveis da economia também foram citadas por Pereira como argumento para o aumento nas vendas de tecidos, vestuário e calçados, de 2,8% ante setembro e de 14,5% na comparação com outubro do ano passado. Segundo ele, o Dia das Crianças também influenciou o resultado desse segmento.Móveis e eletrodomésticosImpulsionadas pela continuidade da expansão do crédito, as vendas de móveis e eletrodomésticos registraram aumento de 1,3% em outubro ante setembro e de 13,5% na comparação com outubro de 2006. No ano, esse segmento acumula alta nas vendas de 16% e em 12 meses, de 14,6%."O crédito, com especial ênfase no alongamento dos prazos de financiamento, tem sido o elemento chave para o desempenho da atividade", segundo Reinaldo Pereira, do IBGE.O alongamento dos prazos de financiamento também foi o principal motivo citado por Pereira para explicar o forte crescimento nas vendas de veículos, motos, partes e peças, segmento que registrou aumento de 2,8% nas vendas em outubro ante setembro e de 29,9% ante outubro do ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.