IBGE: taxa de abril foi a menor para o mês desde 2002

A taxa de desemprego no País no mês passado, de 8,5% da População Economicamente Ativa, é a menor para meses de abril da série histórica da pesquisa mensal de emprego do IBGE, iniciada em 2002. A taxa mais baixa, anteriormente, era a de abril de 2007, que foi de 10,1%. Não é, porém, a mais baixa do ano de 2008, já que em janeiro a taxa de desemprego foi de 8%.Nos últimos 12 meses, a menor taxa foi a de dezembro de 2007, de 7,4%. "Esta taxa do mês passado é uma das melhores taxas (de toda a série), só perdendo para as de meses de fim de ano (e janeiro, tradicionalmente mais baixos)", disse o gerente da Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE, Cimar Azeredo.De acordo com ele, a queda no número de desempregados em relação a abril do ano passado é de 13,9% ou 322 mil, que deixaram de procurar trabalho entre abril de 2007 e o mês passado. "Se somar população desocupada de Belo Horizonte e Porto Alegre em abril, dá menos do que os 322 mil que deixaram a população desocupada em desde abril de 2007", afirmou. "O mercado de trabalho vem apresentando ganhos expressivos que a gente ainda não vê em outros indicadores, como rendimento", disse Azeredo.Segundo ele, embora a redução de desemprego de 0,1% em abril em relação a março não seja estatisticamente significativa, representando estabilidade, "é positiva para a época do ano". "Há uma movimentação, uma tendência positiva no mercado de trabalho", afirmou.Além do desemprego menor, a qualidade dos postos de trabalho em abril melhorou em relação a abril do ano passado. O número de empregados com carteira de trabalho assinada no setor privado cresceu 1,5% no mês passado em relação a março e 9,9% em relação a abril de 2007, divulgou hoje o IBGE. O número de funcionários públicos estatutários e militares ficou estável em relação a março e cresceu 6,6% na comparação com abril de 2007.Já a quantidade de empregados sem carteira de trabalho assinada no setor privado não teve variação significativa em relação ao mês anterior, mas caiu 4,7% na comparação com abril do ano passado. Os trabalhadores por conta própria não tiveram variação significativa em seu número em nenhuma das duas bases de comparação. Os dados são pesquisados pelo IBGE nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Recife, Porto Alegre e Belo Horizonte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.