IBGE: trabalho com carteira assinada é recorde no País

O mês de fevereiro de 2008 mostrou o mais alto patamar de formalização do mercado de trabalho nas seis principais regiões metropolitanas do País desde o início da série histórica do IBGE, em março de 2002. O gerente da pesquisa mensal de emprego do instituto, Cimar Azeredo, mostrou dados que revelam que, no mês passado, o porcentual de trabalhadores formais no total de ocupados, somando empregados com carteira assinada e funcionários públicos, chegou a 54,6%.O porcentual é o maior de toda a série e também o maior entre os meses de fevereiro de 2007 (52,9%), 2006 (52,2%), 2005 (50,7%), 2004 (50%), 2003 (51,6%) e 2002 (52%). Segundo ele, a formalização recorde reflete a melhoria no cenário econômico e a mudança da estrutura no mercado de trabalho. A conseqüência da maior formalização, segundo ele, é um aumento do poder de compra dos trabalhadores, da contratação de crédito e do consumo.Tendência favorávelO aumento da taxa de desemprego para 8,7% em fevereiro (estava em 8% em janeiro) não reverte a trajetória favorável para o mercado de trabalho, segundo Azeredo. "Não houve de forma alguma piora no quadro do mercado de trabalho, o que está ocorrendo agora é um movimento sazonal", disse.Segundo ele, a elevação da taxa segue um comportamento natural da série histórica, já que a taxa normalmente cai em dezembro e sobe entre janeiro e março. "A tendência, segundo a série histórica, é que o ponto de inflexão da taxa seja em abril ou maio", disse.Para Azeredo, haverá novo aumento da taxa em março mas, pelos resultados apresentados em 2008 até o momento, o mercado de trabalho este ano poderá apresentar um comportamento tão favorável como no ano passado. "É a taxa mais baixa da série (iniciada em março de 2002) para um mês de fevereiro, a desocupação está em patamar mais baixo", sublinhou.RendimentoO rendimento médio real de R$ 1.189,90 dos ocupados nas seis principais regiões metropolitanas do País em fevereiro de 2008 é o maior para um mês de fevereiro na série histórica iniciada em março de 2002, mas ainda não atingiu os níveis de renda registrados no ano de 2002, segundo o gerente do IBGE. No início da série, em março daquele ano, era de R$ 1.212,30.Segundo Azeredo, o aumento da renda apurado em fevereiro de 2008 (1,1% ante janeiro e 2,5% ante fevereiro de 2007) responde à inflação controlada, ao aumento do poder de compra dos trabalhadores e à maior formalização do mercado de trabalho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.