IBGE: vestuário foi a maior alta, mas alimento pesa mais

O grupo que mais subiu no IPCA de abril foi o de Vestuário, com 1,53%, mais até que Alimentos e Bebidas, que tiveram alta de 1,29%. No entanto, a contribuição para a taxa geral do grupo Vestuário é de 0,10 ponto porcentual e a dos alimentos, de 0,28 ponto porcentual.De acordo com a Coordenadora de Índices de Preços do IBGE, Eulina Nunes dos Santos, a alta de preços de produtos de vestuário se deve à entrada da nova coleção (outono/inverno) no comércio. O subgrupo de roupa masculina foi o que mais aumentou, com variação de 3,19%.Os demais grupos tiveram variações abaixo de 1%: Habitação (0,19%); Artigos de Residência (0,32%); Transportes (-0,05%); Saúde e Cuidados Pessoais (0,76%); Despesas Pessoais (0,49%); Educação (0,05%) e Comunicação (0,06%).Eulina comentou que o grupo de Saúde foi muito influenciado pelo reajuste autorizado pelo governo de 4% em medicamentos, que se refletiram no IPCA de abril em uma alta de 1,18% dos remédios.

ADRIANA CHIARINI, Agencia Estado

09 de maio de 2008 | 11h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.