Ibovespa cai 3,2% e fecha na mínima em seis meses com ajustes à eleição

O principal índice da Bovespa fechou em forte queda nesta quinta-feira, abaixo dos 51 mil pontos pela primeira vez desde abril, em meio a especulações de que pesquisas previstas para o dia mostrariam aumento da vantagem da presidente Dilma Rousseff (PT) sobre o candidato do PSDB, Aécio Neves, na corrida presidencial a poucos dias da eleição.

REUTERS

23 de outubro de 2014 | 17h16

Logo após o fechamento, levantamentos Datafolha e Ibope confirmaram os rumores de que Dilma assumiu a dianteira na disputa fora da margem de erro, que haviam pressionado os negócios ao longo de toda a sessão, descolando o pregão local de Wall Street e deixando de lado noticiário corporativo intenso.

Conforme dados preliminares, o Ibovespa caiu 3,2 por cento, a 50.730 pontos, menor patamar desde abril, fazendo o desempenho no ano ficar negativo em 1,5 por cento.

Até a véspera, o resultado acumulado em 2014 estava positivo em 1,75 por cento.

O volume financeiro na sessão alcançava 10 bilhões de reais.

(Por Paula Arend Laier)

Tudo o que sabemos sobre:
BOLSAFECHAPRELIM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.