Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Ibovespa cai com renovada preocupação por crise na Europa

A Bovespa encerrou esta segunda-feira em baixa, após a euforia de sexta-feira com a integração fiscal da Europa dar lugar à volta do pessimismo com a crise da dívida na região.

ROBERTA VILAS BOAS, REUTERS

12 de dezembro de 2011 | 18h44

O Ibovespa registrou queda de 1,53 por cento, a 57.346 pontos. O giro financeiro do pregão foi de 6,8 bilhões de reais.

"Esse pacote da Europa vai ser difícil de costurar", afirmou o analista Alexandre Furtado Montes, da consultoria Lopes Filho. Segundo ele, uma análise mais cuidadosa sobre o acordo tirou parte do otimismo dos mercados.

"Aparecem medidas que no primeiro momento (os investidores) pensam que vai resolver, mas quando começam a analisar mais friamente vê que é complicado", explicou.

Além disso, Montes considerou que dados da China divulgados no final de semana também pressionaram os negócios. O crescimento das exportações e das importações chinesas desacelerou em novembro, na evidência mais recente de redução da demanda externa e interna que tem levado Pequim a adotar uma política mais explícita de incentivo à economia.

Entre as ações do índice, o setor de petróleo foi o que mais contribuiu para a queda, com a preferencial da Petrobras tendo baixa de 2,61 por cento, a 22,42 reais, e a ordinária recuando 2,87 por cento, a 24,04 reais. A ação da OGX caiu 1,37 por cento, a 14,40 reais.

A preferencial da Vale também registrou queda de 1,46 por cento, a 38,55 reais.

A maior queda, porém, ficou com a ação da Vanguarda (antiga Ecodiesel), de 11,32 por cento, a 0,47 reais. Na quinta-feira, a empresa informou ter acertado a venda de alguns ativos de biodiesel por 100 milhões de reais.

Na outra ponta, Cemig registrou a maior alta, de 2,99 por cento, a 30,65 reais. A empresa confirmou na sexta-feira a noite uma proposta para adquirir 21,35 por cento do capital da Energias de Portugal (EDP).

(Edição de Aluísio Alves)

Tudo o que sabemos sobre:
BOVESPAFECHAFINAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.