Ibovespa fecha acima de 58 mil pontos pela 1ª vez em sete meses

Apetite de investidores estrangeiros movimentou os negócios; capital externo bateu recorde na Bolsa em abril

Clarissa Mangueira, O Estado de S. Paulo

05 Maio 2015 | 17h41

A Bovespa fechou no maior nível de pontos desde setembro de 2014, à medida que os investidores estrangeiros continuaram a mostrar um forte apetite pelas ações do País.

No fim do pregão desta terça-feira, 5, o Ibovespa subiu 1,22%, aos 58.051 pontos, maior nível desde o dia 18 de setembro do ano passado. Na máxima, a Bolsa atingiu 58.147 pontos (+1,38%) e na mínima, 57.096 pontos (-0,45%). O volume de negócios totalizou R$ 8,055 bilhões, segundo dados preliminares. Em maio, a Bolsa tem alta de 3,24%, e no ano, valorização de 16,09%.

A Bolsa brasileira continua a ser beneficiada por um forte fluxo de capital estrangeiro, após ter registrado volume recorde desses recursos em abril. A Bovespa encerrou o mês passado com superávit recorde de R$ 7,604 bilhões de capital externo, segundo dados da BM&FBovespa. Esse foi o melhor mês em termos de entrada líquida de capital estrangeiro na Bolsa desde janeiro de 2000 - quando os números começaram a ser compilados pela Bolsa, conforme antecipou o Broadcast, serviço de informações da Agência Estado. Até então, o melhor mês nesse quesito tinha sido janeiro de 2012, com R$ 7,1 bilhão.

Entre os destaques de alta da bolsa estavam os papéis da Vale, Petrobrás e Eletrobrás. Vale ON (+9,20%), Vale PNA (+5,18%), Petrobras ON (+4,12%) e Petrobrás PN (+4,20%), Eletrobras ON (+12,02%) e Eletrobras PN +13,70%).

Do lado negativo, as ações PN do Itaú Unibanco fecharam em queda de 0,98%. O banco reportou lucro líquido de R$ 5,733 bilhões no primeiro trimestre deste ano, cifra 29,7% maior que a registrada em igual intervalo do ano passado e levemente acima das projeções dos analistas. Entretanto, o banco revisou algumas projeções para a carteira de crédito e despesas com provisões.

A alta da Bovespa contrariou a queda registrada pelas bolsas dos EUA e da Europa, que foram afetadas pelos dados da balança comercial dos EUA e preocupações relacionadas às negociações na Grécia. No fim do pregão em Wall Street, o Dow Jones caiu 0,79%, o S&P 500 recuou 1,18% e o Nasdaq perdeu 1,55%. 

Kroton e Estácio Participações foram destaque de queda do Ibovespa, após o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, afirmar na segunda-feira, 4, que o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) esgotou seus recursos para 2015. (Com informações da Reuters).

Mais conteúdo sobre:
Bolsa de valores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.