Ibovespa fecha quase estável no fim de sessão volátil por Europa

A bolsa brasileira encerrou a sexta-feira em leve queda, numa sessão volátil e de menor volume financeiro, com o mercado à espera de notícias sobre a crise na Europa.

ROBERTA VILAS BOAS, REUTERS

23 de setembro de 2011 | 17h50

O Ibovespa caiu 0,09 por cento, a 53.230 pontos. O giro financeiro do pregão foi de 5,9 bilhões de reais. Os mercados externos também operaram sem tendência, com o Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, terminando o dia em leve alta de 0,35 por cento.

"Ainda tem um quadro de indefinição no mercado. Não tivemos nenhuma notícia nova e houve oportunidade de aproveitar alguns negócios com preços baratos", explicou Newton Rosa, economista-chefe da Sul América.

Apesar dos valores mais baratos das ações, Rosa ressaltou que a volatilidade ainda está forte nos mercados, com investidores realizando lucros tão as ações subam um pouco.

"(O investidor) tem uma posição compradora e logo em seguida tem posição vendedora", afirmou.

Para o economista, a trajetória do Ibovespa no próximo pregão vai depender das notícias do fim de semana, e caso não haja nenhuma divulgação, a indefinição no índice permanecerá.

Nesta sessão, a maior alta do índice foi Lojas Americanas, com ganho de 8,47 por cento, a 14,60 reais. Logo atrás Lojas Renner avançou 8,45 por cento, a 52,00 reais. MRV Engenharia cresceu 5 por cento, a 10,50 reais.

As ações do setor de consumo e construção aliviaram parte das perdas da semana, após expectativas de inflação maior no Brasil terem sido reforçadas por dados que confirmaram uma economia ainda aquecida.

A maior queda, por sua vez, foi Sabesp, que recuou 3,64 por cento, a 43,46 reais.

O papel com maior giro financeiro, de 753 milhões, foi da preferencial da Vale, e recuo de 1,39 por cento, a 41,00 reais.

(Edição de Aluísio Alves)

Tudo o que sabemos sobre:
BOVESPAFECHAFINAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.