finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Ibovespa pode subir mais do que Nasdaq

O mercado de ações brasileiro poderá finalmente desvincular-se do desempenho da Nasdaq, índice norte-americano que concentra as ações de tecnologia, na avaliação de especialistas. Um dos sintomas desta perspectiva é revelado pela análise histórica da oscilação dos índices (tanto para cima como para baixo). De acordo com estudo elaborado pela Economática, a diferença entre o padrão de oscilação da Nasdaq e a do Índice da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) nunca esteve tão alta. A análise destes dois indicadores a partir de 1990 mostra que as oscilações da Nasdaq sempre foram significativamente menores do que a do Ibovespa. Essa relação só foi invertida por volta do segundo trimestre do ano passado, quando explodiram as dúvidas em torno da chamada nova economia e o cenário brasileiro foi se estabilizando. Desde então, os índices vêm evoluindo de forma oposta: o padrão de oscilação do Nasdaq está subindo, enquanto a do Ibovespa mostra queda. Atualmente, o índice de volatilidade do Nasdaq - que mede o padrão de oscilação da bolsa -, com base em uma análise de 52 semanas, está em 0,52 e a do Ibovespa, em 0,36. No estudo de 21 dias, mais sensível aos últimos acontecimentos, o resultado é de 0,79 e de 0,40, respectivamente. A principal explicação para o resultado da pesquisa e também para as esperanças de descolamento são encontradas, segundo os especialistas, nas perspectivas econômicas de cada país. Enquanto os Estados Unidos não estão poupando esforços para evitar uma recessão, o Brasil consolida as previsões de crescimento com inflação decrescente e contenção de gastos públicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.