Ibovespa se firma no azul e fecha em alta

O pregão na Bolsa de Valores de SãoPaulo mostrou nesta segunda-feira investidores receosos emfazer apostas antes da divulgação de importantes indicadoresdos Estados Unidos, a partir de terça-feira. Ainda assim, oprincipal índice brasileiro de ações fechou no azul na esteirade Wall Street. O Ibovespa, caíram 0,20 por cento, a 81,09 reais. Já as damineradora Vale avançaram 0,95 por cento, para 48,88 reais. Entre as ações do Ibovespa, as ações preferenciais daUsiminas tiveram ganho de 5,69 por cento, para 80,40 reais, eficaram entre as mais negociadas do dia. Na sexta-feira, asiderúrgica anunciou que está em processo de negociação, embases exclusivas, para aquisição do controle da Mineração J.Mendes. Durante todo o pregão, a cautela prevaleceu no Brasilapesar do bom desempenho em Nova York, onde os principaisíndices do mercado --Dow Jones, Standard & Poor's 500 e Nasdaq-- exibiam valorização de perto de 1 por cento ou mais poucoantes do fechamento. Nesta manhã, a IBM divulgou lucro e receita no quartotrimestre acima do esperado, animando investidores nos EUA. O início do ano tem sido marcado pela volatilidade nosmercados financeiros globais, diante das incertezas sobre orumo da economia norte-americana em meio aos problemas no setorimobiliário e à crise de crédito. Na terça-feira, serão divulgados dados de preços no atacadoe vendas no varejo dos EUA de dezembro e estoques empresariaisde novembro. No front corporativo, as atenções giram em torno dadivulgação do resultado do Citigroup, antes da abertura dopregão. Analistas estão ansiosos para ver os balanços dosprincipais bancos de Wall Street, com expectativa de novasbaixas contábeis bilionárias relacionadas a perdas comhipotecas. Na segunda-feira, a rede de televisão norte-americana CNBCreportou que o Citigroup, maior banco dos EUA, deve registrarbaixa contábil de até 24 bilhões de dólares e anunciar o cortede 17 mil a 24 mil empregos na terça-feira, junto com adivulgação do balanço trimestral do banco. (Reportagem de Cesar Bianconi)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.