Dario Oliveira|Estadão
Dario Oliveira|Estadão

Ibovespa tem máxima acima de 104 mil pontos e dólar tem manhã em queda nesta quinta

Dólar à vista marcou mínima em queda de 0,35% aos R$ 3,7472, às 11h28

O Estado de S.Paulo

18 de julho de 2019 | 13h00

Nesta quinta-feira, 18, o Ibovespa consolidou-se em alta, com máxima acima dos 104 mil pontos, no começo da tarde. Já o dólar ficou em queda em meio ao noticiário fraco. A moeda americana à vista marcou mínima em queda de 0,50% aos R$ 3,7443, às 12h59. 

 

Destaques na Bolsa 

Na Bolsa, o destaque nesta quinta, de novo, é o setor varejista. As ações dessas empresas expandem os ganhos de quarta-feira, 17, e avançam em meio à expectativa pelo anúncio de liberação do FGTSanteriormente esperado para esta tarde, mas que foi adiado para a semana que vem. No começo da tarde, as ações ON de Magazine Luiza subiam 1,95%, Via Varejo ON avança 1,78%, B2W ON ganha 1,00% e Lojas Americanas PN tem alta de 1,82%.  

A informação de que a Caixa aguarda autorização do Banco Central para anunciar redução de até 31,5% dos juros dos financiamentos imobiliários mexe com as ações das construtoras: os papéis ON de MRV subiam 1,71%; Cyrela ON avançava 1,41%; Even ON subia 2,93%; Tenda ON tinha alta de 1,00%; Gafisa ON tinha valorização de 0,70%.

Reforma da Previdência

O secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, afirmou nesta quinta que a economia com a reforma da Previdência ficará acima de R$ 800 bilhões em dez anos. 

Questionado por jornalistas na entrada do Ministério, Marinho afirmou que aguarda a autorização do ministro da Economia, Paulo Guedes, para divulgar o valor exato do impacto fiscal com a reforma previdenciária. 

Mercado externo 

No exterior, as Bolsas de Nova York operam com sinais mistos e perto da pontuação de fechamento da última quarta. Na Europa, os principais índices acionários estão em queda. A disputa comercial entre os Estados Unidos e a China que persiste afeta também contratos de petróleo. / Karla Spotorno e Nicholas Shores 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.