IBP defende realização de nova rodada de petróleo

O presidente do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP), João Carlos De Luca, defendeu hoje a fixação, pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), o mais rapidamente possível, da data da 11ª rodada de licitações de áreas petrolíferas, a ser organizada pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

SERGIO TORRES, Agencia Estado

29 de julho de 2011 | 12h26

Vinculado à Presidência da República, o CNPE ainda não marcou a data, o que deveria ter ocorrido no início deste ano. As empresas filiadas ao IBP querem que a rodada se realize este ano. Deverão ser licitados 174 blocos em nove bacias. Serão 87 blocos terrestres e 87 marítimos nas regiões Norte e Nordeste. Nenhum deles no pré-sal.

De Luca disse que se o CNPE se manifestar no início de agosto, ainda há tempo suficiente para que a rodada ocorra em dezembro. "Estamos quase no limite", disse, ressaltando que é o que falta para normalizar todo o setor de óleo e gás, após a aprovação do plano de negócios da Petrobras. "Estamos há três anos sem rodada. Entendemos os motivos do governo (para o intervalo desde a última rodada, em 2008), a necessidade de discussão do marco regulatório do pré-sal. Agora, temos esperança. Seria o melhor anúncio para o setor", afirmou o executivo.

Tudo o que sabemos sobre:
IBPpetróleolicitação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.