Ibrahim Eris defende intervenção no câmbio

O ex-presidente do Banco Central, Ibrahim Eris, criticou a política de câmbio do atual governo. "Infelizmente, o governo está perdendo uma oportunidade para reduzir um pouco a nossa dependência externa", analisou durante entrevista ao Programa Econômico, da TV Cultura. "Mais uma vez está sendo cometido um equívoco na área de política cambial, na política de juros e na política monetária, o que virou uma história repetitiva demais até." Eris defendeu uma maior atuação do Banco Central no mercado para corrigir as distorções de câmbio. "Em nome da taxa de equilíbrio de mercado o BC está cometendo o erro de não consertar as distorções existentes no mercado", ponderou. "No ano passado nós tínhamos US$ 28 a 30 bilhões de reservas líquidas. Hoje nós temos US$ 15 bi. Ou 30 era alto demais lá, ou 15 é baixo demais aqui."Ibrahim Eris prevê que, caso o Banco Central não tome nenhuma atitude, nos próximos meses deverá ocorrer uma nova crise cambial com reflexos na balança comercial brasileira. "Sem dúvida que a taxa de câmbio de hoje a longo prazo é insustentável", frisou o ex-presidente do Bacen. "Esta taxa de câmbio equivale mais ou menos àquela que nós tínhamos no começo de 2002", recordou. "Gradualmente, esse saldo comercial vai cair e, provavelmente, isso vai trazer à tona de novo a discussão sobre a dependência externa brasileira e que vai resultar em desvalorização do real. Nos próximos 18 meses eu vejo o saldo comercial caindo e o real desvalorizado."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.