Icatu lança PGBL corrigido por índice de inflação

A companhia de seguros Icatu Hartford lançou em abril o primeiro Plano Gerador de Benefícios Livres (PGBL) com correção pelo Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), da Fundação Getúlio Vargas. Os PGBLs são planos de previdência privada que trabalham com duas fases: a de acumulação de capital e a de pagamento dos benefícios. No final do prazo de contribuição, a administradora calcula o valor do benefício a partir do capital acumulado. Ao contrário dos produtos da mesma linha hoje comercializados por outras seguradoras, os recursos aplicados no PGBL da Icatu não são investidos em fundos de renda fixa ou renda variável, dólar ou ações da Bolsa. "Os aportes são 100% direcionados para aplicações corrigidas pelo IGP-M, como títulos públicos federais e títulos de bancos privados de primeira linha" diz o diretor administrativo e financeiro da Icatu Hartford, Bernardo Mascarenhas. Os valores mínimos para a contratação são de R$ 500 nas contribuições mensais e R$ 10 mil no caso da contribuição única. A taxa de administração do produto é de 1,5% ao ano e incide sobre os recursos acumulados. Já a taxa de carregamento é de 0,5% para cada valor depositado (aporte). Pelo site da seguradora (ver link abaixo), os clientes podem fazer as aplicações e acompanhar o andamento dos papéis.A gestão financeira do produto (cujo nome comercial é PGBL Icatu Hartford IGP-M) ficará a cargo do Citibank. A Icatu prevê lucro de R$ 500 mil até o fim deste mês e de R$ 5 milhões até o fim do ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.