ICV do Dieese mostra deflação de 0,26% em junho

O Índice de Custo de Vida (ICV) medido pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócios Econômicos (Dieese) na cidade de São Paulo foi negativo em 0,26% em junho. Essa é a menor variação do ICV desde novembro de 1998, quando o índice atingiu menos 0,34%, e representa um recuo de 0,50 ponto porcentual em comparação a maio, quando o ICV atingiu 0,24%. O grupo Saúde foi o que registrou a maior alta em junho, com 1,15% seguido de Vestuário (0,99%), Recreação (0,80%), Habitação (0,79%), Despesas Pessoais (0,58%), Educação e Leitura (0,17%). Apresentaram índices negativos os grupos de Transportes (-2,60%), Alimentação (-0,91%), Despesas Diversas (-0,89%) e Equipamento Doméstico (-0,10%). A inflação acumulada em 12 meses (julho d e 2002 a junho de 2003) pelo Dieese na capital está em 17,28%. A pesquisa destaca o comportamento no grupo de Transportes, em que a deflação de 2,60% foi identificada principalmente no subgrupo transporte individual (-3,52%), motivada pela queda dos combustíveis de 6,20%, resultado das retrações de 12,48% no álcool, 4,64% no diesel e 3,82% na gasolina. Na ponta de alta, o destaque ficou para o grupo Vestuário, com taxa de 0,99%, inferior à de maio (2,04%) e motivada pelo lançamento das coleções de outono e inverno. O Índice do Custo de Vida (ICV) em São Paulo, calculado pelo Dieese, fechou o mês de junho com uma deflação de 0,26%. Essa deflação é a menor variação de preços registrada pelo Dieese desde novembro de 1998. Também o IPC-Fipe de junho, divulgado hoje, registrou deflação. O Estado antecipou, em sua edição de hoje, que os dois índices indicariam deflação no mês de junho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.