Idec encontra graves irregularidades em congelados

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) realizou uma série de testes para avaliar as condições de acondicionamento, temperatura e higiene dos alimentos congelados em alguns supermercados de São Paulo. Os testes registraram graves irregularidades na venda dos congelados. De acordo com Murilo Diversi, especialista em vigilância sanitária de alimentos do Idec, os problemas detectados foram as precárias condições de higiene, a falta de manutenção e regulação correta de refrigeradores e termômetros e o acondicionamento incorreto dos produtos. Os teste do Idec registraram resultados preocupantes para o consumidor. Entre as principais irregularidades o teste revelou que: 54,6% dos refrigeradores estavam em condições de higiene inadequadas, 90,9% dos termômetros dos refrigeradores não registravam a temperatura adequada e 77,2% dos expositores de alimentos estavam sobrecarregados, ou seja, os alimentos estavam acondicionados de forma incorreta.Segundo o especialista em alimentos do Idec, a lei estadual determina que os congelados devem permanecer numa temperatura inferior a 18ºC negativos. "Apesar da lei existir, o Idec constatou que a grande maioria dos estabelecimentos acondicionam os congelados em temperaturas erradas", alerta Diversi.Outra revelação preocupante da pesquisa foi a grande quantidade de alimentos sem as condições mínimas de conservação. De acordo com o Idec, 91,3% dos produtos estavam sem as condições regulares de temperatura, ou seja, estavam acondicionados em temperaturas acima dos 18 ºC negativos. "Se os produtos não forem colocados à venda na temperatura correta, o seu prazo de validade expira antes do tempo", explica o especialista em alimentos do Idec.Idec cobra medidas do governoOs testes foram realizados em 18 supermercados de São Paulo e foram avaliados 88 refrigeradores e expositores de congelados. O Idec enviou os resultados aos estabelecimentos pesquisados e aos órgãos de vigilância sanitária municipal, estadual e federal. Murilo Diversi explica que o Idec está cobrando do governo uma legislação mais rigorosa para os alimentos congelados. O especialista em alimentos do Idec pede que o governo torne obrigatório a existência de termômetros em todos os equipamentos de conservação de alimentos. Diversi também cobra a existência de um selo de calibração de termômetros. "O termômetro é um instrumento de precisão, assim como uma balança deve estar calibrado para passar uma informação correta ao consumidor", avalia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.