finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Idec pede recall imediato do brinquedo Bindeez

Brinquedos foram recolhidos nos EUA e Austrália por conter uma substância ligada à droga GHB

Paula Puliti, da Agência Estado,

08 de novembro de 2007 | 18h23

O Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) divulgou nota nesta quinta-feira, 8, defendendo que a Long Jump, empresa importadora do brinquedo Bindeez no Brasil, deveria anunciar imediatamente o recall do produto, que foi alvo de recall na Austrália, nos Estados Unidos e no Canadá.  Os brinquedos foram recolhidos depois de ser constatado que eles continham uma substância ligada à droga GHB, usada em estupros facilitados por drogas em um golpe conhecido como "Boa Noite Cinderela". A diretoria da Long Jump se reuniu até por volta das 18 horas desta quinta e ainda não se pronunciou. Assim, não é possível saber quantos produtos há no Brasil e onde eles estão. A presidente do Idec, Marilena Lazzarini, afirmou que "se ainda não tiver a confirmação do problema com os produtos vendidos no Brasil, a Long Jump deve, pelo menos, pedir a suspensão das vendas até que seja confirmada a informação. Da mesma forma, deve recomendar que esses brinquedos sejam afastados das crianças". A Long Jump comercializa o brinquedo no País há cerca de seis meses, segundo a assessoria de imprensa, e só deve se pronunciar no início da noite, após o fim da reunião. A empresa está verificando se o lote importado para o Brasil faz parte do recall já feito em outros países. Marilena disse, ainda, que se forem confirmados os problemas nos brinquedos, a empresa deve fazer oficialmente um recall, comunicando todos os acidentes ocorridos nos outros países, já que no Brasil não há sistema de registro de acidentes de consumo. Problemas Cinco crianças foram levadas a hospitais depois de engolir as pequenas miçangas conhecidas como Bindeez, na Austrália e Aqua Dots, nos Estados Unidos.  As contas são recobertas com substâncias que se transformam na droga GHB (ácido gama-hidroxibutírico, um poderoso sedativo, que é ilegal) quando engolidas.  As miçangas são um brinquedo extremamente popular nos dois países. Em 2007, Bindeez foi escolhido como "O Brinquedo do Ano" na Austrália.  As centenas de contas de cores vivas podem ser dispostas para tomar a forma que a criança desejar e ficam unidas quando borrifadas com água.  As miçangas deveriam ser revestidas com uma cola não-tóxica, mas descobriu-se que um lote na Austrália foi recoberto com uma substância que não seguia a fórmula aprovada.  Na Austrália, três crianças foram hospitalizadas nas últimas duas semanas depois de terem engolido as contas. Elas já se recuperaram mas o brinquedo foi proibido no país.  Nos Estados Unidos, duas crianças foram afetadas, de acordo com a Comissão de Segurança de Produtos ao Consumidor.  Cerca de 4,2 milhões de unidades serão recolhidas nos Estados Unidos e cerca de um milhão na Austrália.  O fabricante australiano Moose Enterprises disse que os brinquedos foram produzidos em uma fábrica na província de Cantão, no sul da China.  Segundo a empresa, as contas Bindeez serão, no futuro, recobertas com "um ingrediente de gosto muito ruim" para garantir que as crianças não as comam.  Mesa redonda Devido aos recentes problemas com brinquedos, o Idec realizou na terça-feira uma mesa redonda para discutir o processo de recall no Brasil, com as presenças do Instituto de Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e dos Procons.  "Esse novo caso de brinquedos com problemas no Brasil só reafirma a necessidade de instaurarmos esse sistema o mais rápido possível. Por isso, o Idec vai enviar aos ministros um pedido de apoio e aceleração desse sistema", conclui Marilena.

Tudo o que sabemos sobre:
Bindeezrecall

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.