Idec reformula site e traz mais informações

Desde o dia 11 está no ar o novo site do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec). O projeto do novo portal (veja endereço no link abaixo) começou em agosto do ano passado e pretende ser o mais completo na área de defesa do consumidor no País. Alfredo Caseiro, coordenador de comunicação do Idec, assessorado pela equipe de técnicos do Instituto, foi o responsável pela reformulação do site que já existia desde 1996. "O que fizemos foi dar uma nova roupagem em termos de tecnologia para facilitar a navegação." Entre os destaques do site está o link com informações sobre a área de serviços públicos privatizados, como os direitos do cidadão em relação ao fornecimento de água, luz e telefonia. Para quem é associado do Idec e está participando de alguma ação movida pelo instituto para grupos, é possível acompanhar, mês a mês, o andamento do processo. Técnicos da associação são responsáveis pela resposta às principais dúvidas que chegam ao portal via e-mail. Outra dica é a seção destinada aos modelos de carta. São mais de 70 modelos que o internauta pode usar como base para tentar solucionar seus problemas nas relações de consumo, como produtos com defeito ou reajuste abusivo. "A informação é o caminho mais eficiente para o consumidor. Se ele conhecer seus direitos e as principais armadilhas, evitará cair nelas", avalia Caseiro. "Bem informado, o consumidor acaba resolvendo seus problemas sozinho em 60% dos casos." As áreas mais visitadas, segundo o coordenador, são as mesmas do antigo site. "O link da revista Consumidor S.A., com conteúdo amplo na área de defesa do consumidor, e, atualmente, a seção da campanha promovida pelo Idec contra a ação direta de inconstitucionalidade que os bancos estão movendo." A ação foi proposta pela Confederação Nacional do Sistema Financeiro (Consif), no Supremo Tribunal Federal (STF), a fim de livrar os bancos das regras do Código de Defesa do Consumidor (CDC). O STF deverá julgá-la em março.Associação - O Idec é uma associação de consumidores fundada em 1987, sem fins lucrativos. Não tem vínculos com empresas, governo ou partidos políticos. Atualmente conta com aproximadamente 25 mil associados, responsáveis por sua manutenção. Os sócios pagam uma anuidade de R$ 72,00 e passam a receber a revista Consumidor S.A.; têm direito a serviço de atendimento por telefone, Internet ou pessoalmente, com orientação sobre relação de consumo; e ganham desconto nos cursos promovidos pelo instituto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.