Idec: tensão da energia em SP é preocupante

A qualidade da energia elétrica fornecida pela Eletropaulo, companhia energética que atende cerca de 14 milhões de pessoas em 24 municípios do Estado de São Paulo, está gerando polêmica. O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) está afirmando que a qualidade do fornecimento de energia é preocupante e que os níveis de tensão estão fora dos limites propostos na lei. Porém, a Eletropaulo avisa que é autorizada a trabalhar fora do nível de tensão por causa da rede antiga instalada em parte da sua área de cobertura.O Idec fez um levantamento em São Paulo e verificou que cerca de 60% dos consumidores da Eletropaulo são atendidos com níveis de tensão fora do limite admissível. Para esses consumidores, a alteração pode prejudicar a potência e funcionamento dos equipamentos elétricos. A portaria 505 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) determina que a tensão mínima na rede em São Paulo é de 106 volts e a máxima, de 121 volts. Mas a Eletropaulo está operando com a tensão máxima de 132 volts.Eletropaulo tem autorização da CSPE para estar "fora da lei"O vice-presidente da Eletropaulo, Antoninho Borghi, destaca que essa voltagem determinada por lei é fruto da rede herdada da antiga Light. Ele avisa que no resto do Brasil a tensão mínima é de 116 volts e a máxima, de 132 volts. "A tensão estabelecida pele lei é menor em São Paulo por causa da rede antiga instalada no Estado", ressalta.Borghi explica que cerca de 60% dos consumidores da Eletropaulo estão recebendo um nível de tensão diferente do que o determinado na portaria da Aneel, mas que essa diferenciação está autorizada pela Comissão de Serviços Públicos de Energia de São Paulo (CSPE). "A Comissão autorizou a Eletropaulo a utilizar a voltagem de 126 volts para não prejudicar os equipamentos elétricos da população", explica. O vice-presidente da Eletropaulo fala que a antiga voltagem era suficiente para atender os equipamentos elétricos antigos que funcionavam em 110 volts. Agora, segundo Borghi, a maioria dos aparelhos funciona com 127 volts. O vice-presidente da Eletropaulo explica que o funcionamento da rede elétrica com uma tensão mínima de 106 volts estava provocando a queima de vários aparelhos. Borghi explica que a voltagem de tensão da rede muita alta ou muito baixa provoca os seguintes problemas em aparelhos elétricos: queima, diminuição da vida útil e perda de potência.Como o consumidor pode se defenderDe acordo com o Idec e a Eletropaulo, o consumidor pode solicitar a medição do nível de tensão de energia elétrica de sua residência. "A distribuidora deve garantir o fornecimento de tensão de níveis adequados. O consumidor que desconfiar que o limite não está sendo respeitado, pode exigir que a distribuidora verifique e informe a tensão fornecida", alerta o técnico do Idec, Marcos Pó.O consumidor que tiver problemas pode entrar em contato com a Eletropaulo através de carta, Internet, pelo telefone 0800-196196 ou via agência de atendimento ao consumidor. Segundo o vice-presidente da Eletropaulo, o consumidor deve ser informado 48 horas antes do início da medição e o equipamento de medição, chamado gráfico, deve ficar instalado por uma semana na residência do consumidor.A Eletropaulo pode cobrar uma taxa de R$ 4,83 pelos serviços, caso não seja encontrado nenhuma irregularidade, avisa Borghi. De acordo com as regras da Aneel, a distribuidora de energia tem o prazo de 30 dias para entregar, por escrito, o resultado da medição do nível de tensão. Se forem comprovados problemas na tensão, a empresa terá prazo de 60 ou 180 dias para corrigir o erro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.