Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Idec tenta reaver perda em fundos

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) entrou com ação coletiva ontem para tentar recuperar a perda nos fundos de investimento. O Instituto alega que muitos de seus associados tiveram prejuízo devido à nova regra de marcação a mercado dos fundos pelo Banco Central (BC), em maio deste ano. As primeiras ações são contra a Caixa Econômica Federal (CEF) e a Nossa Caixa. Uma decisão favorável beneficiaria apenas os associados do Idec que tinham dinheiro aplicado em fundos da CEF ou da Nossa Caixa. De acordo com o Idec, as perdas com os fundos da CEF variaram de 3,65% (Caixa FIF DI) a 1,31% (FAC Pré-fixado) e os da Nossa Caixa, de 4,02% (InvestCaixa) a 1,64% (FIF 90). O Idec tentará obter uma liminar (decisão provisória) para que o valor das perdas seja creditado aos investidores antes da decisão final do processo. O Idec também entrará com ações coletivas contra outras instituições financeiras que causaram prejuízo a seus associados por causa da alteração para marcação a mercado dos fundos de investimento. Segundo o Instituto, os bancos deveriam ter avisado os clientes antes de mudar as regras de remuneração, uma vez que a determinação do Banco Central era de 1996.O Banco Central e a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) também figuram como réus nas ações, informa o Instituto. Para o Idec, tanto o BC quanto a CVM também são responsáveis pelas perdas causadas, porque não fiscalizaram de maneira adequada a obediência dos gestores dos fundos de investimentos à Circular nº 2654 de 1996 do BC. Entenda mais sobre a regra de marcação a mercado dos fundos de investimento nas matérias do link abaixo.

Agencia Estado,

05 de novembro de 2002 | 17h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.