finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

IDV apura alta de 6,2% nas vendas do varejo em agosto

As vendas no varejo em agosto cresceram 6,2% na comparação com o mesmo mês do ano anterior, de acordo com levantamento do Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV). O dado leva em consideração as vendas realizadas pelos associados da entidade, 44 empresas de grande porte como Grupo Pão de Açúcar, Lojas Americanas, Lojas Riachuelo, Magazine Luiza, Walmart, entre outras.

DAYANNE SOUSA, Agencia Estado

19 de setembro de 2013 | 12h13

Para setembro, o Índice Antecedente de Vendas (IAV-IDV) aponta um crescimento de 8,3% nas vendas na comparação com o mesmo mês do ano passado. É esperado ainda um crescimento real de 7,5% em outubro e 7,4% em novembro.

"Estes números podem ser creditados à recuperação do ritmo de vendas nos diversos segmentos, à resiliência do mercado de trabalho e à desaceleração da inflação de alimentos, que havia pressionado os bens não duráveis no primeiro semestre, já que este setor tem uma contribuição significativa no desempenho do varejo", analisa, em nota, o presidente do IDV e das Lojas Riachuelo, Flávio Rocha.

O varejo de não duráveis, segundo o IDV, teve crescimento de 2,5% em agosto na comparação com o mesmo mês do ano anterior, e para setembro a expectativa é de crescimento de 6,7%. Para outubro e novembro deve haver crescimento de 5,8% e 6,2%, respectivamente.

Já o setor de bens semiduráveis, que inclui vestuário, calçados, livrarias e artigos esportivos, teve o desempenho mais constante. Os associados do IDV apontam alta de 10,5% das vendas realizadas em agosto e estabilidade com estimativa de crescimento de 9,4% em setembro. Para os próximos dois meses, observa-se uma manutenção das vendas em níveis elevados, com expectativa de crescimento de 10,6% e 9,6% em outubro e novembro, respectivamente.

O Instituto acredita ainda que o segmento de bens duráveis retome taxas significativas de crescimento. Houve alta de 7,7% em agosto e espera-se elevação de 9,7% em setembro. Para os meses seguintes, as estimativas são de 7,4% de alta tanto em outubro como em novembro, na comparação com os mesmos períodos de 2012.

O IDV destaca ainda que o resultado da Pesquisa Mensal do Comércio (IBGE) de julho esteve em linha com o antecipado pelos associados. O Instituto havia previsto alta de 5,2% nas vendas do varejo no mês ante o ano anterior e o IBGE registrou elevação de 6%. "A boa estimativa de vendas do IAV-IDV foi quase uma exceção entre as diversas projeções de analistas e consultorias, o que mostra a consolidação do índice como o mais preciso indicador antecedente de vendas do varejo para a economia brasileira", afirma Rocha.

Tudo o que sabemos sobre:
varejoIDVvendasagosto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.