IED somou US$ 25,949 bi em 2009, informa BC

O fluxo de investimento estrangeiro direto (IED) para o Brasil somou US$ 5,109 bilhões em dezembro e fechou 2009 com um saldo de US$ 25,949 bilhões, o equivalente a 1,65% do Produto Interno Bruto (PIB), de acordo com dados divulgados hoje pelo Banco Central. Em dezembro de 2008, o IED foi de US$ 8,115 bilhões, o que fez o resultado daquele ano fechar em US$ 45,058 bilhões, o equivalente a 2,75% do PIB.

FABIO GRANER E FERNANDO NAKAGAWA, Agencia Estado

20 Janeiro 2010 | 11h31

No total de IED recebido em 2009, o fluxo para participação no capital foi US$ 19,906 bilhões e os empréstimos entre companhias somaram US$ 6,042 bilhões. Em 2008, o investimento para participação no capital somou US$ 30,064 bilhões e os empréstimos feitos por companhias para suas unidades subsidiárias no Brasil atingiu US$ 14,994 bilhões.

Ações

O investimento estrangeiro em ações brasileiras somou US$ 3,451 bilhões em dezembro, fechando 2009 com um valor recorde de US$ 37,071 bilhões. Em dezembro de 2008, os investimentos em ações tiveram um saldo negativo de US$ 911 milhões e encerraram o ano com saldo também negativo de US$ 7,565 bilhões.

No ano passado, os investimentos em ações negociadas no País somaram US$ 32,097 bilhões, sendo US$ 3,445 bilhões em dezembro, enquanto as ações brasileiras negociados no exterior fecharam 2009 com aquisições líquidas de US$ 4,974 bilhões, sendo US$ 6 milhões no mês passado. O desempenho das ações em 2009 foi influenciado pela oferta de ações do Banco Santander no Brasil.

Os investimentos estrangeiros em renda fixa somaram, em 2009, US$ 9,087 bilhões, tendo em dezembro do ano passado um saldo negativo de US$ 370 milhões. Em 2008, os investimentos em renda fixa somaram US$ 6,798 bilhões, mas em dezembro de 2008 o saldo foi negativo de US$ 4,464 bilhões. Os investimentos em títulos negociados no País somaram US$ 10,077 bilhões do ano passado, sendo US$ 875 milhões somente em dezembro de 2009. Já os papéis brasileiros negociados no exterior tiveram saída líquida de US$ 989 milhões em 2009, sendo que somente em dezembro os estrangeiros tiveram uma saída líquida de US$ 1,245 bilhão.

Taxa de rolagem

O Banco Central informou também que a taxa de rolagem dos empréstimos externos de médio e longo prazo ficou em 53% em dezembro de 2009. O patamar foi superior ao observado em igual mês de 2008, quando o porcentual ficou em 47%. Entre os empréstimos que venceram no último mês de 2009, 53% das operações com papéis foram roladas e 54% dos empréstimos diretos conseguiram ser renovados.

Em todo o ano de 2009, a taxa de rolagem desses empréstimos atingiu 88%, em patamar menor que o observado em 2008, quando a renovação atingiu 109%. De todas as operações realizadas em 2009, 95% dos papéis que venceram no período conseguiram ser renovados. Nos empréstimos diretos, a taxa de rolagem ficou em 72%.

Remessa de lucros e dividendos

Companhias multinacionais instaladas no Brasil enviaram US$ 5,326 bilhões ao exterior, na forma de remessa de lucros e dividendos, em dezembro de 2009. O resultado é 69,3% maior do que o registrado em igual mês de 2008.

No acumulado do ano de 2009, essas transferências atingiram US$ 25,218 bilhões, cifra 25,6% menor do que a observada em 2008. Entre os setores que mais remeteram lucros estão o de veículos (15,1%) e serviços financeiros (8,8%). Para 2010, o BC prevê aumento das remessas, que devem atingir US$ 30,2 bilhões.

Mais conteúdo sobre:
contas públicasBCIED

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.