Iedi prevê queda de 5 pontos em taxa anual ao consumidor

O diretor-executivo do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi), Júlio Sérgio Gomes de Almeida, avalia que a redução da Selic, a taxa básica de juros da economia, em 2,5 pontos porcentuais ? de 24,5% ao ano para 22% ao ano - mais a diminuição da alíquota do compulsório sobre depósitos à vista adotada há duas semanas devem se traduzir em redução das taxas de financiamento ao consumidor, como o crediário. "A taxa de juros ao consumidor deve diminuir bem, algo em torno de 5 pontos porcentuais na taxa anualizada", disse.Ele afirma que o BC deixou o gradualismo de lado e partiu para uma coisa mais efetiva. ?Essa medida tem impacto", assegurou. Segundo Gomes de Almeida, o corte de hoje possibilitará que alguns setores, principalmente os de bens duráveis (como automóveis e eletrodomésticos) e semiduráveis (como móveis e vestuário), tenham uma recuperação dos níveis de consumo já a partir de novembro. "Esse corte vem em boa hora, porque o Natal pode dar um empurrão adicional. Com isso, o ano de 2004 poderá ter um começo bem mais otimista", avaliou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.